Intercedendo pelo Ministério de Música



Nos grupos de oração e nos eventos da RCC, todos os ministérios/equipes são importantes e devem funcionar organicamente como um corpo (cf. 1 Cor 12,12ss) para que o Pentecostes aconteça, gerando curas, libertações e conversões. Contudo um dos ministérios aos quais encontramos mais batalhas espirituais é o de música. Talvez por fazer parte do pelotão de frente e, portanto, estar mais vulnerável aos ataques.
            Uma música ministrada na unção e no poder do Espírito Santo cria o ambiente e principalmente abre os corações para o louvor, a petição, a súplica, a adoração, a escuta, a contemplação, a ação de graças, ou seja, para tudo o que o Senhor estiver querendo realizar no momento da reunião de oração e/ou nos eventos.
Verificamos na História da Salvação, grandes batalhas e feitos que tiveram à sua frente os músicos: Na conquista da cidade de Jericó o Senhor diz a Josué para colocar os sacerdotes à frente tocando as trombetas adiante da arca da aliança (cf. Jos 6, 1ss) na sétima volta ao som do clamor dos músicos sacerdotes, as muralhas não resistiram ao poder de Deus. O louvor deve ser o hino de vitória que brote da boca dos músicos carismáticos!
Na batalha contra os amonitas e os moabitas, Josafá designa os cantores que revestidos de ornamentos sagrados, haveriam de marchar à frente do exército entoando um cântico de louvor (cf. II Cron 20, 5ss). Os ornamentos sagrados, ou seja, o revestimento dos músicos, deve ser a santidade, buscando viver o que se ora na armadura do cristão (cf. Ef 6,10ss). A tática de Deus era colocar músicos à frente ministrando e assim as vitórias iam acontecendo.
Nos ensina o Catecismo (391): “Por trás da desobediência de nossos primeiros pais há uma voz sedutora, que se opõe a Deus, e que, por inveja, os faz cair na morte. A Escritura e a Tradição da Igreja vêem neste ser um anjo destronado, chamado Satanás ou Diabo. A Igreja ensina que ele tinha sido anteriormente um anjo bom, criado por Deus”. A primeira e principal área que devemos interceder com relação a todo o servo, é a obediência, a exemplo de Jesus Cristo o servo sofredor e obediente (cf. Is 53, 1-12; Fl 2,5-11). O demônio irá atacar muito o ministério de música nesta área, os intercessores e o ministério de música devem pedir para produzir o fruto do Espírito Santo da humildade genuína.
O Demônio era um querubim protetor, criado por Deus para servir no coro angélico. A palavra de Deus diz que “tamborins e flautas estavam a seu serviço desde o dia em que foram criados” (leia atentamente Ez 28,11b-19). Isaías descreve que com a expulsão de Lúcifer dos céus, ele levou consigo junto com uma legião de anjos, suas harpas e tamborins (leia também Is 14, 11-12). Assim, ele irá atacar nas brechas que os ministros de música deixarem em sua vida pessoal, tais como: orgulho, vaidade, falta de compromisso, que irão interferir no ministério, quer seja na equipe do grupo de oração quer seja numa banda ou conjunto.
A intercessão que se faz com relação a este ministério deve buscar fechar essas brechas, mediante a oração de concórdia e de combate para que o Espírito Santo dê aos músicos, uma verdadeira humildade, simplicidade, fidelidade e tudo o que for inspirado pelo Espírito quando se estiver orando especificamente por eles. Devemos deixar claro que o inimigo já está vencido pela Cruz de Jesus Cristo (cf. Rom 8,31) e que pouco tempo lhe resta, por isso ele tenta os que servem a Deus e que buscam levar mais pessoas a se encontrar com Jesus Senhor.
Outra área que deve ser motivo de intercessão é a afetividade e sexualidade, principalmente por ser um ministério que encontramos muitos jovens ainda em processo de formação os deixa expostos nesta área e sofrendo muitos ataques. Assim aconteceu com o grande rei e músico Davi quando cometeu adultério com a esposa de seu mais fiel servo e soldado: Urias, levando-o inclusive para frente de batalha para morrer. Foi necessário o profeta Natã para abrir-lhe os olhos quanto ao pecado que havia cometido (leia 2 Sm 11-12,1-15). Davi, então se arrepende e proclama um dos mais profundos e sinceros salmos penitenciais (leia o Salmo 50). Precisamos orar para que os músicos vigiem e orem por seus sentimentos, afetos e sua sexualidade.
Devemos pedir também o dom do discernimento de música, para que ela seja ministrada na moção que a oração estiver sendo conduzida e também pela unidade de pensamento entre quem está conduzindo a reunião de oração e a música. Deve-se pedir que os músicos exerçam um ministério profético, com palavras de sabedoria, ciência e palavras proféticas, sempre em obediência à coordenação do grupo.
Aconselha-se às bandas que saem em missão que tenham uma equipe de intercessão, e mesmo que esta não possa acompanhá-los na missão, essa equipe deve reunir-se para momentos de oração e adoração, de preferência juntos. Os músicos e seus intercessores devem vigiar e orar, procurando sempre confessar e jejuar para se revestir e estar protegido pela poderosa mão de Deus.
Vicente Gomes de Souza Neto
Coordenador Nacional do Ministério de Intercessão na RCC-BR

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...