"Conservar a unidade do espirito pelo vinculo da paz!"

A Renovação Carismática Católica apresenta o tema que direciona e une suas ações em 2014

Grupo de oracao Sao Miguel

Venha ter uma nova experiência com Deus e viver a cultura de Pentecostes. Te esperamos! Todas as quintas-feiras - 20h

Venha rezar conosco e dar um novo sentido para vida!

O Senhor nos chama a este tempo de real mudança de vida

Ministerio Shekinah

“Todos nós, porém, com o rosto descoberto, refletimos a Glória do Senhor!” 2 Cor 3,18

Questoes de Fe

Entenda um pouco mais a fé Católica, explicada de maneira clara e sucinta, em alguns dos temas mais usados nos ataques feitos pelos inimigos da Santa Igreja de Cristo

Archive for Novembro 2010

A Igreja Catolica vendia lugares no Ceu?

É claro que não!

Para que possamos compreender como responder a esta absurda acusação, é necessário que compreendamos a doutrina das Indulgências.

"O pecado tem uma dupla conseqüência. O pecado grave [chamado pecado mortal (1Jo 5,16); é aquele que é cometido deliberadamente e conscientemente em matéria grave] priva-nos da comunhão com Deus e, consequentemente, nos torna incapazes da vida eterna; esta privação se chama 'pena eterna' do pecado.

As grandes verdades do Natal

Côn. José Geraldo Vidigal de Carvalho*

O dia do Natal de Jesus relembra para todos os cristãos verdades fundamentais da fé. Uma delas é que à natureza divina da Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, se uniu, no dia da Anunciação, a natureza humana recebida da Virgem Maria pelo poder do Espírito Santo. 

Os teólogos empregam então, com propriedade, o termo  união hipostática. Santo Agostinho explica este dogma de fé ao dizer que o Verbo de Deus recebeu  o que não era, não perdendo o que era.  Cristo, de fato, como ensina São Leão Magno, "desceu de tal modo, sem diminuição de  sua majestade  ao tomar a condição de nossa humildade, que, uniu a verdadeira condição  de servo àquela condição em que é igual ao Pai e ligou ambas as naturezas com o vínculo de tão íntima aliança que nem a inferior com tão grande glorificação ficou absorvida, nem a superior diminuída com a assunção que realizou".

Por que nem todas as religioes sao iguais?

Pensa-se que todas as religiões são boas. Todas —salvo degenerações estranhas que são como a exceção que confirma a regra— levam a homem a fazer coisas boas, exaltam sentimentos positivos e satisfazem em maior ou menor medida a necessidade de transcendência que todos temos. No fundo, dá igual uma ou outra. Além disso, por que não pode haver várias religiões verdadeiras?
É certo que alguém tem que ser de espírito aberto, e apreciar tudo o que é positivo que há nas diversas religiões, que é substancialmente diferente que dizer que existem várias religiões verdadeiras: se somente houver um Deus, não pode haver mais que uma verdade divina, e uma só religião verdadeira.

Adão e Eva

Revista: “PERGUNTE E RESPONDEREMOS”

D. Estevão Bettencourt, osb.

Nº 320 – Ano 1989 – Pág. 1.

Começamos novo ano pouco depois que a imprensa chamou a atenção do público para a criação do mundo e de Adão e Eva (ver JB, 29/11/88, p. 5, 1.º Cad.).

Os relatos bíblicos da origem do mundo (Gn 1-3) não pretendem ser narrações científicas, mas querem ensinar, em estilo primitivo, que tudo o que existe é criatura de um só Deus (não há astros nem animais nem bosques divinos!). Tal mensagem se compatibiliza bem com a tese da evolução; Deus pode ter criado a matéria inicial dando-lhe as leis de sua evolução até o nível do primata superior. Quando este se achava suficientemente organizado, Deus terá infundido a alma (princípio vital intelectivo, que não é material, mas espiritual) a esse organismo. Assim terá tido origem a criatura humana. Esta hipótese (que realmente não passa de hipótese) já foi aceita pelo S. Padre Pio XII em sua Encíclica Humani Generis (1950).

O Carisma da interpretação das línguas

1. Introdução

Ocorre muitas vezes numa assembléia carismática reunida, a oração ou o canto em línguas, numa harmoniosa alegria pela presença de Deus naquele lugar. Durante a oração ou canto em línguas ou no silêncio que se segue, uma voz destaca-se das demais. Outras vozes se calam porque sentem que o Espírito está agindo, dando uma profecia em línguas (falada, orada ou cantada). Após a profecia em línguas, faz-se silêncio para a escuta da interpretação.

A interpretação pode vir pela mesma pessoa ou por outra, de forma direta, como uma palavra de profecia. Pode ocorrer também a interpretação indireta, por meio de visualização, recordação de versículos bíblicos ou fatos, entre outras formas.

Vida cristã deve ter Cristo no centro, afirma Papa

Propõe a figura de Santa Catarina de Sena, doutora da Igreja


Santa Catarina de Sena
 CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 24 de novembro de 2010 (ZENIT.org) - A espiritualidade de Santa Catarina de Sena, uma das maiores mulheres da vida da Igreja, tinha um centro vital: Cristo, que "é para ela como o esposo com quem tem uma relação de intimidade, de comunhão e de fidelidade; é o bem amado acima de qualquer outro bem".

O Papa Bento XVI dedicou a catequese de hoje, na audiência geral realizada na Sala Paulo VI, à santa italiana, doutora da Igreja e copadroeira da Europa, dentro do seu ciclo sobre
mulheres santas da Idade Média.

Por que ir a missa?

Eu não vou à Missa; eu posso rezar em casa.

Esta frase, ou variações dela, tem sido freqüentemente dita e ouvida nestes últimos anos.
Ora, isso mostra uma incompreensão total do que seja a Missa. A Missa não é uma reunião de pessoas em oração. A Missa é um Sacrifício, ou melhor dizendo, é O Sacrifício que nos reconcilia com o Pai - o Sacrifício de Cristo na Cruz - tornado novamente presente diante de nós para nosso bem.
O sacerdote, durante a Missa, não é uma pessoa qualquer que esteja conduzindo um grupo em oração; ele naquele momento age na Pessoa de Cristo, ele é Cristo, oferecendo-Se em Sacrifício a Deus Pai por nossos pecados.
A Missa tem várias partes, todas elas orientadas rumo a seu auge, o Sacrifício. Ao iniciar a Missa, temos o Confiteor ("Confesso a Deus Todo-Poderoso..."), em que mostramos a nossa indignidade e imploramos o perdão de Deus e a intercessão das orações dos Santos e de nossos irmãos.

Papa justifica o preservativo em alguns casos, mas confirma o Magistério


Livro-entrevista com o Papa Bento XVI
lançado em 23/11/10 no Vaticano
 Esclarecimento vaticano às palavras que aparecerão em seu livro-entrevista

Por Jesús Colina

CIDADE DO VATICANO, domingo, 21 de novembro de 2010 (ZENIT.org) – As palavras de Bento XVI no livro-entrevista a ser lançado reconhecem o uso do preservativo em “casos singulares justificados”. De qualquer forma, não supõem “uma mudança revolucionária” no ensinamento da Igreja; são uma confirmação de seu Magistério, esclareceu a Santa Sé.

Os quatro domingos do Advento

Liturgicamente, o tempo do Advento (do latim adventus = chegada) corresponde às quatro semanas que antecedem o Natal. As quatro velas representam essas quatro semanas e serão acesas, uma a uma, desde o primeiro domingo do Advento até o quarto domingo, sucessivamente. Via de regra as cores das velas devem corresponder à cor do tempo litúrgico – roxa -, diferenciando-se a terceira vela – rosa – como alegre preparação para a vinda do Senhor.

O Tempo do Advento

Latim ad-venio, chegar.

Conforme o uso atual [1910], o Advento é um tempo litúrgico que começa no Domingo mais próximo à festa de Santo André Apóstolo (30 de Novembro) e abarca quatro Domingos. O primeiro Domingo pode ser adiantado até 27 de Novembro, e então o Advento tem vinte e oito dias, ou atrasar-se até o dia 3 de Dezembro, tendo somente vinte e um dias.

Com o Advento começa o ano eclesiástico nas Igrejas ocidentais. Durante este tempo, os fiéis são exortados a se prepararam dignamente para celebrar o aniversário da vinda do Senhor ao mundo como a encarnação do Deus de amor, de maneira que suas almas sejam moradas adequadas ao Redentor que vem através da Sagrada Comunhão e da graça, e em conseqüência estejam preparadas para sua vinda final como juiz, na morte e no fim do mundo.

Cristo Rei

Por que Jesus Cristo é Rei?

Desde a antigüidade se chamou Rei a Jesus Cristo, em sentido metafórico, em razão ao supremo grau de excelência que possui e que lhe eleva entre todas as coisas criadas. Assim, diz-se que:

•Reina nas inteligências dos homens porque Ele é a Verdade e porque os homens precisam beber Ele receber obedientemente a verdade;

O Embrião é um de nós

Amados, a Paz de nosso Senhor Jesus e o amor de Maria estejam convosco!
Segue abaixo artigo retirado da revista Pergunte e Responderemos, 413. Essa publicação já é muito antiga mas até hoje tem sido usada como meio esclarecedor de questões que são frequentemente levantadas no que diz respeito a fé católica. Especificamente esse artigo nos mostra mais uma vez a bárbara realidade vivida pelos embriões recém gerados.
Diga sim à vida!

Boa leitura!

O que precisamos fazer para sermos salvos?

A Salvação dos homens é o objetivo da religião cristã. Querermos ser salvos, queremos escapar do Inferno, e é para isso que Nosso Senhor Jesus Cristo assumiu a nossa natureza e morreu por nós na Cruz.

Muitos, entretanto, dizendo basear sua fé na Bíblia, contradizem e negam o que a própria Bíblia diz ser necessário para a nossa salvação.

Para sermos salvos, devemos crer no Senhor (At 16,31), e isso é verdade. O que significa, porém, "crer no Senhor"? Para fazer uma comparação: você acredita no "papo" de um vendedor de automóveis usados? Certamente que não. Para comprar um carro usado, é sempre melhor levar um mecânico de confiança... Mas por outro lado, você acredita que o vendedor de carros usados que está ali falando com você existe? Certamente que sim.

São João Clímaco

Um dos grandes escritores da Igreja do Oriente e do Ocidente da Idade Média: João, chamado Clímaco, transliteração latina do termo grego klímakos, que significa da escada (klímax). Trata-se do título da sua obra principal, na qual descreve a escalada da vida humana para Deus.

Ele nasceu por volta de 575. Portanto, a sua vida desenvolveu-se nos anos em que Bizâncio, capital do império romano do Oriente, conheceu a maior crise da sua história. Repentinamente, o quadro geográfico do império mudou e a torrente das invasões barbáricas fez desabar todas as suas estruturas. Sustentou sozinho a estrutura da Igreja, que nestes tempos difíceis continuou a desempenhar a sua acção missionária, humana e sociocultural, especialmente através da rede de mosteiros, em que trabalhavam grandes personalidades religiosas, como precisamente João Clímaco.

Falsos profetas e falsas doutrinas

Conta a História, que certa vez um soldado disse a Napoleão Bonaparte:

"Imperador, sois o nosso deus! Só falta criar a nossa religião". Ao que Napoleão lhe respondeu:

"Meu filho, para alguém fundar uma religião é preciso duas coisas: primeiro, morrer numa cruz; segundo, ressuscitar. A primeira eu não quero; a segunda eu não posso".

Santo Antonio de Pádua

“Alegra-te, feliz Lusitânia; salta de júbilo, Pádua ditosa, pois gerastes para a terra e para o céu um varão que bem pode comparar-se com um astro rutilante, já que brilhando, não só pela santidade da vida e gloriosa fama de milagres, mas também pelo esplendor que por todas as partes derrama a sua celestial doutrina, alumiou e ainda continua alumiando o mundo inteiro com luz fulgidíssima” (Pio XII, Carta Apostólica de 13 de junho de 1946).


“Doutor da Igreja”, “Martelo dos Hereges”, “Doutor Evangélico”, “Arca do Testamento”, “Santo de todo o mundo”, são alguns dos títulos com que os Soberanos Pontífices honraram aquele cuja vida foi, no dizer de um de seus biógrafos, um milagre contínuo.

Carisma da Profecia

1. Introdução

O carisma da profecia é um dos meios que o Senhor tem para comunicar-se com o seu povo, encorajando, exortando, instruindo, dando novo rumo ao trabalho apostólico, indicando a direção certa e levando à conversão, enfim, manifestando sua santa vontade em tudo (cf. 1 Cor 14, 03).
Deus sempre quer falar, ma
 s nem sempre o seu povo está pronto para escutá-lo. Quando o faz e, em seguida, Lhe obedece, faz a coisa certa, na hora certa, do jeito certo. Quando faz por sua própria conta, por sua vontade, algumas vezes acerta, mas na maioria delas erra, sofre ou fracassa. É necessário ouvir o Senhor sempre (cf. Dt 6, 4).
Que maravilha poder ouvir a Deus e por ele ser orientado. Que povo há, com efeito, que tenha seu Deus tão próximo de si cada vez que o invoca com sinceridade (cf. Dt 4,7)?

“Teologia da Libertação” - O Comunismo invade a Igreja

Um dos muitos problemas que assolam a Igreja nos dias de hoje é a gravíssima heresia chamada “Teologia da Libertação”. Trata-se de uma heresia materialista, que apresenta uma visão de mundo contrária à Doutrina da Igreja disfarçada com um vocabulário aparentemente cristão.

Esta heresia é um dos muitos aspectos que tomou o modernismo, heresia que o Santo Padre Pio X qualificou de “síntese de todas as heresias”. Segundo o modernismo, a Verdade absoluta não existe; toda “verdade” é apenas uma opinião, uma visão pessoal que pode e deve mudar com o tempo. Assim, para o modernista, a Doutrina da Igreja, ensinada por Nosso Senhor Jesus Cristo, pode e deve ser substituída por algo mais... “moderno”.

A Real Presença de Nosso Senhor Jesus Cristo no Santíssimo Sacramento

Sabemos que Nosso Senhor Jesus Cristo está realmente presente, em Corpo, Sangue, Alma e Divindade, no Santíssimo Sacramento, sob a aparência de pão e vinho. Sabemos disso porque a Igreja nos ensina, e porque a Bíblia também o diz.

Vejamos:

No capítulo 6 do Evangelho de São João, vemos Nosso Senhor Jesus Cristo fazendo uma série de coisas preparatórias para o Seu discurso sobre a Eucaristia: primeiro Ele faz o milagre da multiplicação dos pães (Jo 6,5-13), mostrando assim Sua capacidade de modificar miraculosamente as coisas criadas, mais exatamente o pão. Em seguida, Ele caminha por sobre as água (Jo 6,19-20), mostrando Seu controle sobre o Seu próprio Corpo. Estando então demonstradas estas Suas capacidades, Ele faz o Seu discurso eucarístico (Jo 6,27-59).

Os pecados da Igreja

Por Alice von Hildebrand

Afinal, como a Igreja pode ser santa se a história está manchada pelos muitos pecados dos católicos? Ora, essa dúvida só aparece quando não se sabe exatamente o que Cristo quis dizer com as palavras As portas do inferno não prevalecerão contra ela (Mt 16, 18). Este artigo é uma adaptação de The Church Ask for Forgiveness, publicado pela autora em 2000.

Conta-se que Napoleão, o vencedor de tantas batalhas, após ter mantido o Papa Pio VII prisioneiro em Fontainebleau por longo tempo, queria tomar a Igreja Católica sob a sua tutela para assim alcançar a hegemonia total na Europa. Com isso em mente, redigiu uma Concordata que entregou ao Secretário de Estado, o cardeal Consalvi. O imperador disse ao cardeal que voltaria no dia seguinte e que queria o documento assinado.

Jesus teve irmãos? Maria teve outros filhos?

A GENEALOGIA DOS "IRMÃOS" DE JESUS

Maria teve outros filhos?

Mt 13,55-56 e Mc 6,3 igualmente dizem:


“Este não é o carpinteiro, o filho de Maria, o irmão de Tiago, José, Judas e Simão? E suas irmãs não estão entre nós?”

Observe: apenas o “carpinteiro” é chamado de “o filho de Maria” e não “um dos filhos de Maria”. Algumas pessoas utilizam esses versículos para “provar” que Maria teve outros filhos. Veja também as seguintes passagens: Mt 12,46, Mc 3,31, Lc 8,19 e Jo 7,5.

Querigma e Catequese - Parte 2

O Querigma – Pedagogia para fazer o Anúncio Querigmático

1) O Querigma deve ser Atual: Hoje

Não se trata de falar de acontecimentos perdidos no passado, nem sequer há 2 mil anos atrás, mas sim de forma atual, tornando presente a eficácia da salvação. Por exemplo, mais do que falar do Deus eterno, apresentar Deus que hoje ama, que cura e liberta hoje. Que o homem pode obter a Salvação, se hoje crê e se converte; que o dom do Espírito Santo é para os tempos atuais e que é urgente criar o Evangelho na comunidade cristã.

Querigma e Catequese - Parte 1

O Querigma (Parte I) – Querigma e Catequese


No princípio da vida da Igreja, batizavam-se somente os convertidos. Hoje em dia a tarefa é o inverso: converter os batizados. A Igreja precisa ser evangelizada em seu interior para que ela se converta em Boa Nova para o mundo. Por isso, hoje, evangelizar os batizados é imperativo urgente.

A evangelização se dá em dois momentos sucessivos que são complementares e interdependentes:

Deus proibe o consumo de bebidas alcoolicas?

Depois do surgimento do Protestantismo histórico (Luteranismo, Presbiterianismo e Anglicanismo), as denominações protestantes que surgiram após, começaram a pregar que consumir bebidas alcoólicas é pecado, pois não agrada a Deus.

Devemos ter sempre em mente que na Revelação de Deus, o certo e o errado não está associado a um objeto em si, mas sim ao uso que fazemos dele. Devemos dispor de todas as coisas criadas (seja pelo homem ou por Deus) para a Glória Dele. Sobre isso São Paulo ensinou que "todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm" (cf. 1 Cor 6,12; ver também 1Cor 10,23).

Testemunho de conversão - Marcos Monteiro Grillo

A maioria de vocês me conhece como um cristão protestante "de carteirinha". Não tanto como um daqueles "crentes" típicos, isto é, moralista, fundamentalista (na pior acepção da palavra) e às vezes inconvenientemente proselitista. Sempre fui um cristão discreto (até demais...) ou mesmo tímido, mas essa discrição e essa timidez têm sido compensadas, nos últimos anos, por uma intensa participação em listas de discussão e em comunidades no Orkut. E essas minhas participações fizeram-me um evangélico razoavelmente conhecido na Internet, ou pelo menos em um grupo relativamente grande de amigos e conhecidos evangélicos.

ENMA - Mais que servos, amigos de Deus

Principais trechos da pregação do cantor Eugênio Jorge, realizada em 16/10/2010 no Encontro Nacional do Ministério das Artes – RCC Brasil.

Quantas vezes estamos insensíveis, incapazes de ouvir a voz de Deus que nos indica o caminho. Nós estamos perdendo a capacidade de nos emocionar, perdendo a sensibilidade para as coisas de Deus. Neste século, nos tornamos insatisfeitos com tudo, insensíveis. Meu irmão, ouça a voz de Deus e deixe-se conduzir por Ele. Seja mais que servo, seja amigo, seja íntimo de Jesus.

Como oramos por nossas famílias?

Família é um sonho de Deus, um sonho que vem do amor de Deus (ágape). Vemos isso narrado já quando Deus ao criar o homem à sua imagem e semelhança, reconhecerão ser bom que ele vivesse só (cf. Gn 2,18), “dando-lhe uma ajuda que seja adequada”, dizendo ainda que suas gerações deveriam unir-se. Assim a primeira forma de intercessão é pedir para que o Espírito Santo de Deus conceda aos casais, a graça da unidade, onde o amor (eros: amor entre homem e mulher), os faça purificar e amadurecer o relacionamento. Esse caminho deve passar muitas vezes pela renúncia, pelo perdão, para chegar a reconciliação e, assim, encontrar o amor “ágape” que exprime o amor de descoberta do outro, superando o egoísmo e o invidualismo, tornando-se cuidado do outro e pelo outro.

A castidade no namoro. Por quê?

As coisas da vida somente são boas e nos fazem felizes se são usadas dentro de sua finalidade. Você não pode, por exemplo, usar o seu celular como um martelo!… Desvirtuando a sua finalidade, você provoca dano. Com o sexo se dá o mesmo; se for vivido fora do seu sentido, estraga tudo. Qual o sentido do sexo? O sexo, no plano de Deus, tem duas dimensões, finalidades: “unitiva” e “procriativa”; elas se completam. Deus fez do casal humano “a nascente da vida” (Paulo VI); e assim deu ao homem a honra, a glória e a missão de gerar e educar os filhos. Nenhuma outra missão é mais nobre do que esta.

Deus te vê

Como uma exortação de Deus...


Foi dessa forma que ouvi essa canção em meados de 2009 quando passava por um dos momentos mais turbulentos de minha vida até então. Em uma vigília de oração o Min. de música presente entoa a canção de Eliana Ribeiro e no mesmo instante se enchem meus olhos de lágrimas e meu coração de júbilo, aceitando aquele momento, através dessa canção, como um afago de nosso Senhor me dizendo: “Não sou indiferente a tua dor, te farei feliz! Basta confiar, saber esperar, que eu agirei”.

Desfrute dessa bela canção amados, e caso estejas em um momento delicado em tua vida, creia! Confie! Espere! Pois o nosso Deus quer e vai te fazer feliz!

Pregação 11/11/2010 - Convite

A Santa Missa comentada

A Missa é a maior, a mais completa e a mais poderosa oração da qual dispõe o católico.


Nos dias de hoje, muitos irmãos e irmãs católicos, ainda não sabem o verdadeiro significado e o valor de uma Santa Missa. Alguns vão apenas por um sentido de obrigação ou convenção social, talvez imposta pelos pais na infância. Grande parte deles acabam por abandonar a Igreja por acharem uma coisa repetitiva, desconhecendo o verdadeiro conteúdo de uma Celebração da Eucaristia.

Evangelizar também é ensinar o verdadeiro sentido dos sacramentos da Igreja e, portanto, aprenda você também a mostrar o sentido da Santa Missa aos seus parentes, familiares, amigos e vizinhos. Eduque seus filhos na fé! Fale de Deus com todos! Não tenha medo nem vergonha!

O dom das Línguas

1. Introdução

Neste artigo serão vistas e estudadas as três modalidades do carisma da variedade das línguas que são: o orar, o falar e o cantar em línguas. Além disso, serão abordados os principais aspectos de sua manifestação e o fundamento bíblico e doutrinário.

Algumas pessoas pensam e dizem que o dom das línguas é o menor e o mais insignificante de todos. Porém, São Paulo escreve: “Aquele que fala em línguas não fala aos homens, senão a Deus: ninguém o entende, pois fala coisas misteriosas, sob a ação do espírito” (1 Cor 14,2). Ora, o Espírito orando no homem será pouca coisa? à nossa fraqueza: porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis. E aquele que perscruta os corações sabe o que deseja o Espírito, o qual intercede pelos santos, segundo Deus” (Rm 8, 26-27).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...