Como oramos por nossas famílias?

Família é um sonho de Deus, um sonho que vem do amor de Deus (ágape). Vemos isso narrado já quando Deus ao criar o homem à sua imagem e semelhança, reconhecerão ser bom que ele vivesse só (cf. Gn 2,18), “dando-lhe uma ajuda que seja adequada”, dizendo ainda que suas gerações deveriam unir-se. Assim a primeira forma de intercessão é pedir para que o Espírito Santo de Deus conceda aos casais, a graça da unidade, onde o amor (eros: amor entre homem e mulher), os faça purificar e amadurecer o relacionamento. Esse caminho deve passar muitas vezes pela renúncia, pelo perdão, para chegar a reconciliação e, assim, encontrar o amor “ágape” que exprime o amor de descoberta do outro, superando o egoísmo e o invidualismo, tornando-se cuidado do outro e pelo outro.


Pelas deturpações que encontramos hoje no mundo, vemos o inimigo de Deus atacar os casais através de situações de adultério, egoísmo, e muitos outros; a família a cada dia vem sofrendo muitas investidas para que esse sonho se desvie. Assistimos hoje à maior crise de valores que a família já viveu na história.
Satanás escolheu destruir as famílias para atingir toda a humanidade. Asmodeu foi um demônio que agiu desta forma na vida de Sara e Tobias. Vemos no livro de TOBIAS que Sara era aprisionada, perdendo por 7 vezes o matrimônio, porque seus 7 maridos morriam durante a lua de mel.
“Ouve-me, e eu te mostrarei sobre quem o demônio tem poder: são os que se casam, banindo Deus de seu coração e de seu pensamento. Tu, porém, quando te casares e entrares na câmara nupcial, viverás com ela em castidade durante três dias, e não vos ocupareis de outra coisa senão de orar juntos”. (Tb 6,16b-17b;18). Assim, inúmeras famílias estão banindo Deus de seu coração e permitindo que satanás faça o que quiser dela, resultando em brigas, intrigas, maldições, transformando-as num “inferno”, pois assim é o lugar que não se encontra a presença de Deus. Precisamos orar, e orar com fervor apresentando as necessidades das famílias diante de Deus. Precisamos clamar para que o Espírito Santo ocupe o Seu lugar no coração e nos lares de cada família, e assim como Tobias e Sara, que elas possam orar juntas assumindo Deus em seu relacionamento. Que as famílias sejam libertas de satanás e que, de inferno, elas possam viver um “pedaço do céu” em suas casas, pois assim é o lugar onde há Deus.
A comunhão que existe na família é a sua principal arma contra o mal. No nascimento de Jesus, contemplamos as graças que aconteceram pela unidade da Sagrada Família. A unidade que vem do amor, o amor que vem de Deus. “José, seu esposo, que era homem de bem, não querendo difamá-la, resolveu rejeitá-la secretamente. Enquanto assim pensava, eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonho e lhe disse: ´José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois o que nela foi concebido vem do Espírito Santo.” Mt1,19-20. Mesmo antes da revelação do anjo, José não ousou difamar sua esposa, ele iria protegê-la através de sua rejeição secreta. José pensou primeiro nela para depois pensar nele. A unidade gera o compromisso de um para com o outro. Hoje, ao contrário do compromisso, a família vive uma grande infidelidade uns para com os outros. Cada um apenas pensando em si próprio e deixando a família de lado, e, assim abrindo portas para o adultério, para a rebeldia principalmente dos filhos, para a mentira, separações, gerando a infelicidade.
A unidade também faz com que a família permaneça de pé, diminuindo o poder de satanás, pois quando um cai, outros estão ali para segurar. Essa é uma das maiores graças que há numa família “Mestre, eu te trouxe meu filho, que tem um espírito imundo. Vendo Jesus que o povo afluía, intimou o espírito imundo e disse-lhe: ‘espírito mudo e surdo, eu te ordeno: sai deste menino e não torneis a entrar nele”. (Mc 9, 17b; 25). Havia uma pessoa com um espírito imundo, diz a palavra, porém aquela pessoa tinha pai. Um pai que rogou a Jesus pelo seu filho, que encontrou a libertação. Assim acontece nas famílias, quando um está mal, está em perigo, precisando de socorro, a família unida leva a Jesus para assim alcançar a graça.
Quantas graças acontecem na família! Há muitas bênçãos reservadas no coração de Deus para cada uma delas! Por isso muitos combates enfrentamos. Que hoje, possamos abraçar a causa dela em favor do Nosso Deus. Nos comprometamos a orar por cada uma delas. Para que elas vivam a comunhão com Deus e assim Sua Glória se manifeste!


Luciana Borborema - Ministérios para as Famílias – RJ
Vicente Gomes de Souza Neto - Coord. Nacional do Ministério de Intercessão na RCC

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...