"Conservar a unidade do espirito pelo vinculo da paz!"

A Renovação Carismática Católica apresenta o tema que direciona e une suas ações em 2014

Grupo de oracao Sao Miguel

Venha ter uma nova experiência com Deus e viver a cultura de Pentecostes. Te esperamos! Todas as quintas-feiras - 20h

Venha rezar conosco e dar um novo sentido para vida!

O Senhor nos chama a este tempo de real mudança de vida

Ministerio Shekinah

“Todos nós, porém, com o rosto descoberto, refletimos a Glória do Senhor!” 2 Cor 3,18

Questoes de Fe

Entenda um pouco mais a fé Católica, explicada de maneira clara e sucinta, em alguns dos temas mais usados nos ataques feitos pelos inimigos da Santa Igreja de Cristo

Archive for Abril 2011

O que é o método de ovulação Billings?

O Método de Ovulação Billings (MOB) é um meio de regulação natural da fertilidade.


O MOB é baseado inteiramente nos sintomas de fertilidade e infertilidade observados na vulva. Não utiliza qualquer forma de contagem do ritmo, tomada de temperatura, drogas ou aparelhos.

Há quatro regras simples do Método de Ovulação Billings que são aplicadas se o casal deseja conseguir ou evitar a gravidez.

Três regras (as Regras dos Primeiros Dias) aplicadas no período até a ovulação, quando o dia ápice da fertilidade é identificado. A quarta regra (a Regra do Ápice) é aplicada quando o Dia Ápice for reconhecido.

Possuir-se para dar-se

Você já sabe que amar é dar-se ao outro integralmente, gratuitamente, para construí-lo. É a essência da vida a dois e o fermento que faz o casal crescer. Mas, para que você possa dar-se a alguém, livremente, você precisa possuir-se; ser senhor de si mesmo. As pessoas transformam o amor em egoísmo porque não têm o domínio de si mesmas, e não conseguem dar-se, mas apenas tomar e receber.

A grande crise do homem moderno é que ele dominou o macrocosmo das estrelas e o microcosmo das bactérias e dos átomos, mas perdeu o domínio de si mesmo. Não é mais homem!

Novena de pentecostes - 3º dia

Os livros apócrifos

São aqueles livros que foram escritos pelo povo de Deus, mas que não foram considerados pelo Magistério da Igreja como revelados pelo Espírito Santo, e portanto, não são canônicos, isto é, não fazem parte do cânon (índice) da Bíblia. As razões que levaram a Igreja a não considerá-los como Palavra de Deus, é que muitos são fantasiosos sobre a pessoa de Jesus e outros personagens bíblicos, além de possuírem até heresias como o gnosticismo. Neles há algumas verdades históricas, e isto faz a Igreja considerá-los importantes nos estudos. Há livros apócrifos referentes ao Novo e ao Antigo Testamento. Alguns deles são os seguintes:

Você sabe o que é a Patrística?

Chamamos de “Padres da Igreja” (Patrística) aqueles grandes homens da Igreja, aproximadamente do século II ao século VII, que foram no Oriente e no Ocidente como que “Pais” da Igreja, no sentido de que foram eles que firmaram os conceitos da nossa fé, enfrentaram muitas heresias e, de certa forma foram responsáveis pelo que chamamos hoje de Tradição da Igreja; sem dúvida, são a sua fonte mais rica. Padre ou Pai da Igreja, se refere a um escritor leigo, sacerdote ou bispo, da Igreja antiga, considerado pela Tradição como um testemunha da fé.


Normalmente se considera o período da Patrística o que vai dos Apóstolos até S.Isidoro de Sevilha (560-536) no Ocidente; e até a morte de S. João Damasceno (675-749), no Oriente, o gigante que corajosamente combateu o iconoclasmo. Esses gigantes da fé católica ao longo desses sete séculos defenderam e formularam a fé, a liturgia, a catequese, a moral, a disciplina, os costumes e os dogmas cristãos; por isso são chamados de “Pais da Igreja” porque lhes traçaram o caminho.

Evangelho segundo o twitter

É uma brincadeira, mas tenho que admitir que é emocionante.
Vale a pena conferir!

João Paulo II - um conservador que revolucionou a Igreja

CIDADE DO VATICANO, 25 Abr 2011 (AFP) -O Papa João Paulo II (1920-2005) foi um líder religioso enormemente reverenciado como um dos responsáveis pela ruína do Comunismo no Leste Europeu, mas há quem diga que tenha afastado muitos católicos, com uma visão social conservadora.

Primeiro Papa não italiano em mais de 400 anos, e primeiro do Leste Europeu, o polonês Karol Wojtyla era muito popular, evitando a pompa que cercou seus antecessores e buscando contato com pessoas comuns.

Ele será agraciado no domingo em uma cerimônia solene de beatificação na Basílica de São Pedro que dará ao último pontífice a posição de "abençoado" para os mais de 1,1 bilhão de católicos em todo o mundo e vai colocá-lo no caminho da santificação.

Tudo o que é necessário saber sobre a Nova Era

Há trinta anos vem-se formando uma onda cultural/filosófica/religiosa que pretende reagir contra o presente estado da humanidade e empurrar esta a uma nova consciência, para uma nova forma de ser espiritual. Esta onda é chamada de Nova Era (New Age) e, hoje por hoje, não há nenhum aspecto de nossa vida que não tenha sentido seus efeitos de alguma forma.

As idéias e os objetivos da Nova Era recolhem elementos das religiões orientais, o espiritismo, as terapias alternativas, a psicologia trans-pessoal, a ecologia profunda, a astrologia, o gnosticismo e outras correntes. Os mistura e os comercializa de mil formas, proclamando o início de uma nova época para a humanidade. Mas, no fundo, não parece ser mais que outra tentativa vã do homem de se salvar por si mesmo fazendo promessas que não pode cumprir e atribuindo-se poderes que não possui.

São Damião de Molokai, um pastor que deu a vida por suas ovelhas

Com a presença do Rei Alberto II da Bélgica e de sua esposa, a rainha Paola Ruffo de Calábria, o Santo Padre Bento XVI canonizou o Pe. Damião de Molokai, Apóstolo dos Leprosos. Nascido em Flandres, na Bélgica, o Pe. Damião abraçou a vida religiosa, tendo se radicado no Havaí onde, cumprindo a missão que lhe foi designada por seus superiores, exerceu frutífero ministério em uma colônia de leprosos, tornando-se também um deles. Outros quatro bem-aventurados também foram canonizados na mesma ocasião, tendo o Papa feito um convite aos que se dirigiram a Roma para a cerimônia: "Queridos irmãos e irmãs, vamos dar graças ao Senhor pelo dom da santidade que hoje resplandece na Igreja com singular beleza. Enquanto com afeto saúdo cada um de vós, cardeais, bispos, autoridades civis e militares, sacerdotes, religiosos e religiosas, fiéis leigos de várias nacionalidades que participam desta solene Celebração Eucarística, gostaria de dirigir a todos o convite a deixar-se atrair pelos exemplos luminosos desses santos, a deixar-se guiar pelos ensinamentos deles, para que toda a nossa existência se torne um canto de louvor ao amor de Deus".

Páscoa, a grande alegria cristã

Se fôssemos resumir em uma palavra a festa da Páscoa, com certeza a palavra seria alegria. Alegria imensa, que explode e contagia. Em todas as passagens da Escritura que falam da ressurreição de Jesus, duas ações acontecem: encher-se de alegria e sair para comunicar aos outros. Ou seja, diante da realidade da ressurreição, alegro-me ao ponto de não conseguir reter esta felicidade, mas tenho como obrigação comunicá-la aos meus irmãos, que são também irmãos do Ressuscitado.


Cristo, nossa Páscoa, foi imolado, façamos festa no Senhor! O domingo de Páscoa é o dia mais alegre do ano, porque o Senhor da vida triunfa sobre a morte, sobre o pecado, sobre o mundo. E é tão intensa essa alegria, que perdura até a festa de Pentecostes. No tempo pascal, com efeito, a cada dia das sete semanas se vive a mesma alegria do domingo da ressurreição.

Feliz páscoa! Cristo Ressuscitou!

Mensagem de Páscoa de Bento XVI

Irmãos e Irmãs do mundo inteiro, homens e mulheres de boa vontade!

Cristo ressuscitou! A paz esteja convosco! Hoje se celebra o grande mistério, fundamento da fé e da esperança cristã: Jesus de Nazaré, o Crucificado, ressuscitou dos mortos ao terceiro dia, conforme as Escrituras. O anúncio feito aos anjos, naquela aurora do primeiro dia depois do sábado, a Maria Madalena e às mulheres que foram ao sepulcro, o ouvimos hoje com renovada emoção: “Por que buscais entre os mortos aquele que está vivo? Não está aqui, mas ressuscitou!” (Lc 24,5-6).

O “verdadeiro Jesus” não é aquele que cada um se constrói

Há muitas imagens distorcidas e fantasiadas, afirma cardeal de São Paulo

SÃO PAULO, quinta-feira, 21 de abril de 2011 (ZENIT.org) - O arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Scherer, convida os católicos a não se contentaram “com qualquer imagem de Jesus Cristo”.

Em artigo desta semana do jornal ‘O São Paulo’, Dom Odilo adverte para não se contentar com as imagens de Jesus “que só prometem milagres e não pedem a conversão do coração, ou escondem o caminho da cruz”.

Sábado Santo

"Durante o Sábado santo a Igreja permanece junto ao sepulcro do Senhor, meditando sua paixão e sua morte, sua descida à mansão dos mortos e esperando na oração e no jejum sua ressurreição (Circ 73).


No dia do silêncio: a comunidade cristã vela junto ao sepulcro. Calam os sinos e os instrumentos. É ensaiado o aleluia, mas em voz baixa. É o dia para aprofundar. Para contemplar. O altar está despojado. O sacrário aberto e vazio.

A Cruz continua entronizada desde o dia anterior. Central, iluminada, com um pano vermelho com o louro da vitória. Deus morreu. Quis vencer com sua própria dor o mal da humanidade. É o dia da ausência. O Esposo nos foi arrebatado. Dia de dor, de repouso, de esperança, de solidão. O próprio Cristo está calado. Ele, que é Verbo, a Palavra, está calado. Depois de seu último grito da cruz "por que me abandonaste?", agora ele cala no sepulcro. Descansa: "consummantum est", "tudo está consumado".

Tríduo Pascal

A palavra tríduo na prática devocional católica sugere a idéia de preparação. Às vezes nos preparamos para a festa de um santo com três dias de oração em sua honra, ou pedimos uma graça especial mediante um tríduo de preces de intercessão.


O tríduo pascal se considerava como três dias de preparação para a festa de Páscoa; compreendia a quinta-feira, a sexta-feira e o sábado da Semana Santa. Era um tríduo da paixão.

No novo calendário e nas normas litúrgicas para a Semana Santa, o enfoque é diferente. O tríduo se apresenta não como um tempo de preparação, mas sim como uma só coisa com a Páscoa. É um tríduo da paixão e ressurreição, que abrange a totalidade do mistério pascal.

Sexta-feira Santa

A tarde de Sexta-feira Santa apresenta o drama imenso da morte de Cristo no Calvário. A cruz erguida sobre o mundo segue de pé como sinal de salvação e de esperança. Com a Paixão de Jesus segundo o Evangelho de João comtemplamos o mistério do Crucificado, com o coração do discípulo Amado, da Mãe, do soldado que lhe traspassou o lado.

São João, teólogo e cronista da paixão nos leva a comtemplar o mistério da cruz de Cristo como uma solene liturgia. Tudo é digno, solene, simbólico em sua narração: cada palavra, cada gesto. A densidade de seu Evangelho agora se faz mais eloqüente. E os títulos de Jesus compõem uma formosa Cristologia. Jesus é Rei.

Sou feliz por ser católico!

Às vezes andando pelas ruas, encontramos nos veículos adesivos com expressões como estas: “Eu sou feliz por ser católico”; “Sou católico, graças a Deus”; “Eu assumo: sou católico”. São expressões interessantes e muito felizes, pois expressam de maneira eloquente aquela atitude que deveria ser tomada por todo bom católico: assumir com alegria e gratidão a sua própria identidade católica.

Eficácia dos métodos de controle naturais

Segundo estudos realizado pela Organização Mundial de Saúde, os métodos naturais de planejamento familiar demonstraram possuir uma ampla superioridade sobre os métodos artificiais (anticoncepcionais-abortivos) em diversos aspectos. Em tais estudos demonstrou-se que eram fáceis de aprender e de aplicar pela mulher qualquer que fosse seu nível cultural (ficou demonstrado que podem ser aprendidos e aplicados com sucesso até por mulheres carentes de instrução mínima), que eram aceitos com preferência em relação aos métodos artificiais e, o mais importante, mostraram-se sumamente eficazes em evitar gravidez. A todas estas vantagens acrescenta-se que por sua natureza respeitam a integridade e dignidade da pessoa humana sem lesar seus direitos.

A Crucificação de Cristo, a partir de um ponto de vista médico

de C. Truman Davis

Lendo o livro de Jim Bishop “O Dia Que Cristo Morreu”, eu percebi que durante vários anos eu tinha tornado a crucificação de Jesus mais ou menos sem valor, que havia crescido calos em meu coração sobre este horror, por tratar seus detalhes de forma tão familiar - e pela amizade distante que eu tinha com nosso Senhor. Eu finalmente havia percebido que, mesmo como médico, eu não entendia a verdadeira causa da morte de Jesus.

Com Maria aos pés da cruz

O Evangelho de João (Jo 19,25) relata que no momento da crucificação de Jesus, Maria sua mãe estava aos pés da cruz. Ela certamente olhava para aquela cena dolorosa com todo seu amor, só conseguia ver seu filho, o Filho de Deus se consumindo de amor por toda a humanidade.


Mudando o foco para Jesus, o que Ele estaria vendo? Qual seria a imagem que Jesus estaria vendo do alto da cruz?

Seu olhar não é atraído por uma mulher desmaiada, ou totalmente descontrolada como poderia ocorrer com uma mãe presenciando o filho se esvaindo aos poucos diante dela. O que chama a atenção de Jesus é ver sua mãe de pé diante da cruz.

Quinta-feira Santa

A liturgia da Quinta-feira Santa é um convite a aprofundar concretamente no misterio da Paixão de Cristo, já que quem deseja seguí-lo deve sentar-se à sua mesa e, com o máximo recolhimento, ser espectador de tudo o que aconteceu na noite em que iam entregá-lo.

E por outro lado, o mesmo Senhor Jesus nos dá um testemunho idôneo da vocação ao serviço do mundo e da Igreja que temos todos os fiéis quando decide lavar os pés dos seus discípulos.

A Melhor escola para pais: A Família

Lic. Eduardo R. Cattaneo

Os pais devem ensinar e os filhos aprender, isto que é proclamado como uma verdade absoluta, costuma ser muito pouco certo na realidade já que é, ao menos, uma visão parcial dela.

Com freqüência abordamos este tema em nossas páginas - ou deveria dizer em nossos bytes? - diversos temas sobre nossas obrigações como pais, da educação de nossos filhos, o que devemos ensiná-los, etc. lembro que em uma oportunidade publicamos um par de notas sobre os direitos dos pais, ou o que os pais têm o direito de exigir de seus filhos, mas falamos muito pouco do que nós aprendemos ou deveríamos aprender com nossos filhos.

É conveniente educar a criança em alguma religião?

G. K. Chesterton

Eis aqui uma frase que escutei outro dia de uma pessoa muito agradável e inteligente, e que centenas de vezes escutei de centenas de pessoas. Uma jovem mãe me disse: "Não quero ensinar nenhuma religião ao meu filho. Não quero influenciá-lo; quero que ele a escolha por si mesmo quando for maior".

Esse é um exemplo muito comum de um argumento corrente, que freqüentemente se repete, e que, entretanto, nunca se aplica verdadeiramente. É claro que a mãe sempre estará influenciando seu filho. Da mesma maneira, a madre poderia ter dito: "espero que escolherá seus próprios amigos quando crescer; por isso não quer apresentá-lo aos seus primos e primas".

O poder das nossas palavras

Um dos mais excelentes dons que Deus nos deu foi a palavra. Alguém já disse que elas são mais poderosas que os canhões. De fato, um canhão pode ser aprisionado, mas aprisionar a palavra não será possível. Como tudo o que Deus fez, também a palavra é bela, construtora do bem e da paz; encanta os corações e as mentes; contudo, mal empregada pode ser muito destruidora.

Através dela geramos grandes amizades, elevamos o ânimo abatido do irmão que sofre, despertamos forças adormecidas; mas também, podemos destruir a honra e a imagem do outro, sufoca-lo até a asfixia de suas forças e podemos gerar a guerra.

Recristianizar a Páscoa

A RCC é um movimento eclesial marcado pela espiritualidade de Pentecostes e que, a partir dela, se sente chamado a difundir no mundo uma nova cultura, a Cultura de Pentecostes. Essa cultura, “que cria uma sociedade que respeita a dignidade humana através do reconhecimento de que a humanidade é feita à imagem e semelhança de Deus”[1] , se difunde através da atitude e do testemunho daqueles que são impulsionados pelo Espírito Santo.


Pensando nisso, o Portal RCCBRASIL, tem feito campanhas periódicas sobre a necessidade de colocarmos Jesus como centro das nossas vidas, recristianizando a cultura através do autêntico testemunho cristão. Nesse período de preparação para a Páscoa, mais uma vez o apelo é feito. Cada um de nós pode recristianizar os ambientes por onde passa.

Um amor feito de atos

Quarta pregação de Quaresma ao Papa e à Cúria Romana

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 15 de abril de 2011 (ZENIT.org) - Apresentamos a quarta pregação de Quaresma à Cúria Romana, realizada nesta sexta-feira, em presença do Papa, pelo padre Raniero Cantalamessa, OFMCap.

Pe. Raniero Cantalamessa
Quarta Prédica de Quaresma

Os tipos de pecado

Nossa vida tem, por assim dizer, o que vamos chamar aqui de diversos estratos. Há em nós uma vida vegetativa, que nos é comum com os vegetais, e se manifesta no crescimento das unhas, cabelos, na assimilação dos alimentos, etc.; também temos uma vida animal que nos é comum com os animais, e se manifesta na nossa capacidade de ver, ouvir, tocar, de cheirar, de mover-nos, de comer, de dormir, etc.

Ainda mais, gozamos de uma vida racional que temos em comum com os anjos e que se manifesta em nossa capacidade de conhecer, de querer, de amar, e por último, num grau muito superior a todos os níveis anteriores, recebemos uma Vida Divina que nos é comum com Deus: a graça santificante pela qual participamos da mesma vida intratrinitária de Deus.

O que a Igreja nos ensina sobre os métodos contraceptivos

“Ninguém pode ter a Deus por Pai que não tenha a Igreja por mãe” (São Cipriano). Como uma mãe dedicada, a Igreja nos orienta, alimenta e forma.

Transmitir a vida é um dos dons que Deus deu ao homem. Porém, se faz necessário programar essa mesma transmissão, de maneira responsável e consciente. Esse tem sido um desafio aos casais que, muitas vezes por ignorância, adotam métodos que são causadores de incompreensões, falta de diálogo e ainda trazem conseqüências terríveis à saúde.

O sacrifício escolhido na quaresma e a nossa dor

Caminhamos dentro da quaresma já há semanas e a impressão comum é que o caminho estreita-se ainda mais em cada novo domingo. Parece-me que leva algum tempo para reconhecermos o mistério que nos sonda, e em larga medida, vamos compreendendo que esse mistério se descortina, irremediavelmente, na dor, na oferta incondicional.


Lembro, que com algum tempo de caminhada, questionei de Deus qual era a diferença da dor que sentia antes de conhecer a Jesus para a profunda, intensa, constante por dias, dor que experimentei depois.

Utilidade do verdadeiro jejum

Por que teus discípulos não jejuam?


«Como os discípulos de João e os fariseus estavam jejuando, vêm e lhe dizem: “Por que enquanto os discípulos de João e os discípulos dos fariseus jejuam, teus discípulos não jejuam?”. Jesus lhes disse: “Podem acaso jejuar os convidados ao casamento enquanto o noivo está com eles? Enquanto tenham consigo o noivo não podem jejuar. Dias virão em que lhes será arrebatado o noivo; então jejuarão, naquele dia”».

Deste modo, Jesus não renega a prática do jejum, mas que a renova em suas formas, tempos e conteúdos.

A Divina Misericórdia - (imagem, festa, novena, terço e hora da misericórdia)

A devoção à Divina Misericórdia foi pedida por Jesus à Irmã Faustina Kowalska, na Polônia. As formas dessa devoção, de extrema eficácia à salvação das almas, são:
- A Imagem
- A Festa (1º domingo depois da Páscoa)
- A Novena
- O Terço
- A Hora da Misericórdia Divina (às três horas da tarde).

A Hora da Misericórdia
Em 1933, Deus ofereceu a Irmã Faustina uma impressionante visão de Sua Misericórdia. A Irmã nos conta: “Vi uma grande luz, e nela Deus Pai. Entre esta luz e a Terra vi Jesus pregado na Cruz de tal maneira que Deus, querendo olhar para a Terra, tinha que olhar através das chagas de Jesus. E compreendi que, somente por causa de Jesus, Deus está abençoando a Terra.”

Retiro: Restaura Nossa Casa Senhor

Inscrições no GO São Miguel

Pe. Cantalamessa: A caridade sem fingimento

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 8 de abril de 2011 (ZENIT.org) - Apresentamos a terceira pregação de Quaresma à Cúria Romana, realizada nesta sexta-feira, em presença do Papa, pelo padre Raniero Cantalamessa, OFMCap.

* * *

Pe. Raniero Cantalamessa
Terceira Prédica de Quaresma

A CARIDADE SEM FINGIMENTO

Veni, Creator Spiritus!

VENI, CREATOR SPIRITUS
(Vem, Espírito Criador)

É um hino da Igreja Católica, em honra ao Espírito Santo. Desde que foi composto, no século IX, esse texto litúrgico nunca deixou de ser ressoado na Igreja em momentos importantes, sobretudo, na Festa de Pentecostes.

Foi com essa oração solene, que o Papa Leão XIII consagrou o século XX à Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, mesmo século em que surgiu a Renovação Carismática Católica.

A diferença entre a Bíblia católica e a protestante

Entenda por que a Bíblia dos protestantes tem menos livros

Demoraram alguns séculos para que a Igreja Católica chegasse à forma final da Bíblia, com os 72 livros como temos hoje. Em vários Concílios, ao longo da história, a Igreja, assistida pelo Espírito Santo (cf. Jo 16,12-13) estudou e definiu o Índice (cânon) da Bíblia; uma vez que nenhum de seus livros traz o seu Índice. Foi a Igreja Católica quem berçou a Bíblia. Garante-nos o Catecismo da Igreja e o Concílio Vaticano II que: “Foi a Tradição apostólica que fez a Igreja discernir que escritos deviam ser enumerados na lista dos Livros Sagrados” (Dei Verbum 8; CIC,120). Portanto, sem a Tradição da Igreja não teríamos a Bíblia. Santo Agostinho dizia: “Eu não acreditaria no Evangelho, se a isso não me levasse a autoridade da Igreja Católica” (CIC,119).

‘Por causa da Tua Palavra, lançaremos as redes’

Nesta semana, vamos acompanhar o texto sobre a pregação que Lucimar Mazieiro, coordenadora do Ministério de Formação da RCCBRASIL, fez no primeiro dia no ENF 2011. Lucimar falou sobre a temática do ano, do momento vivido pelo Movimento e, sobretudo, das moções que Deus tem inspirado à Renovação Carismática Católica do Brasil, nesse tempo de construção e reconstrução.

Palavra de Deus em evidência

Logo no início de sua fala, Lucimar fez um resgate daquilo que a RCC vem vivendo nos últimos anos, de acordo com O que o Senhor pede que o Movimento faça. “Em 2009, Ele nos fez proclamar o Senhorio de Jesus. No ano passado, nos deu a graça de mergulhar na Palavra, anunciar a Boa Notícia onde a gente estivesse”, disse.

Sorrir é bom demais!

Namoro: tempo de escolher e de conhecer

Quando você vai comprar um sapato ou um vestido, não leva para casa o primeiro que experimenta, é claro. Você escolhe, escolhe… até gostar da cor, do modelo, do preço, e servir bem nos seus pés ou no seu corpo. Se você escolhe com tanto cuidado um simples sapato, uma calça, quanto mais cuidado você precisa ter ao “escolher” a pessoa que deve viver ao seu lado para sempre, construir uma vida a dois com você, e dando vida a novas pessoas.

Talvez você possa um dia mudar de casa, mudar de profissão, mudar de cidade, mas não acontece o mesmo no casamento. É claro que você não vai escolher a futura esposa, ou o futuro marido, como se escolhe um sapato. Já dizia o poeta que “com gente é diferente”. Mas, no fundo será também uma criteriosa escolha.

Artigos do Código Canônico sobre o Matrimônio

Artigos do Código Canônico sobre Matrimônio


Transcrevemos aqui os principais cânones sobre o matrimônio; contudo, é preciso alertar os leitores que sua interpretação nem sempre é fácil. Para uma consulta mais aprofundada, recomendamos consultar a edição do Código publicada pelas Edições Loyola, em 1987, que traz notas explicativas, no rodapé, do Pe. Jesús Hortal, SJ, especialista em Direito Canônico.

A leitura desses artigos ajuda-nos a compreender melhor a natureza do matrimônio e a seriedade como a Igreja trata o assunto.

Novena de pentecostes - 2º dia

O jejum que agrada ao Senhor

- Gabriel de Santa Maria Madalena, OCD


O meu espírito, ó Deus, é um espírito contrito; um coração contrito e humilhado vós não desprezais (Sl 51, 19)

“De que serve jejuar, se com isso não vos importais? E mortificar-nos, se nisso não prestais atenção?” (Is 58, 3). Assim o povo de Israel, escrupuloso observante do jejum legal, elevava a Deus sua voz, como se pudesse apresentar direitos por causa de práticas de penitência destituídas de verdadeiro espírito de piedade! E respondia a voz de Deus: “Passais vosso jejum em disputas e em altercações, ferindo com o punho... É porventura este o jejum que me agrada?” (ibidem, 4-5).

Perguntas e respostas mais frequentes sobre o Islã

1.- O que significa a palavra Islã e quando surgiu o Islã?

A palavra Islã quer dizer entrega, abandono de si mesmo a Alá. O Islã é a submissão à Alá. O Islã aparece no ano 610 da era cristã no deserto arábico. Foi fundado por Maomé, embora os muçulmanos não aceitem isso; para eles não foi Maomé, mas Alá quem fundou o Islã através dele. Maomé não é o equivalente a Cristo. Jamais Maomé afirmou ser Deus, mas sim o transmissor da revelação que Alá traz aos homens. O nome de Maomé significa em português nome Maomé significa em espanhol: o elogiado, o enaltacido.

O que a Igreja ensina sobre: Batismo

Catecismo da Igreja Católica
1257 - O Senhor mesmo afirma que o Batismo é necessário para a salvação. Também ordenou a seus discípulos que anunciassem o Evangelho e batizassem todas as nações. O Batismo é necessário, para a salvação, para aqueles aos quais o Evangelho foi anunciado e que tiveram a possibilidade de pedir este sacramento. A Igreja não conhece outro meio senão o Batismo para garantir a entrada na bem-aventurança eterna; é por isso que cuida de não negligenciar a missão que recebeu do Senhor, de fazer "renascer da água e do Espírito" todos aqueles que podem ser batizados. Deus ligou a salvação ao sacramento do Batismo, mas ele mesmo não está ligado aos seus sacramentos.

Piercings trocados por rosários

A integridade corporal e a saúde não devem ser sacrificadas a modismos

Um grupo de jovens católicos iniciou, em Roma, um trabalho de evangelização que consiste em oferecer aos jovens rosários em troca de piercings. É a Associação Papaboys, que fica num bairro próximo ao Vaticano; eles já acumulam mais de mil piercings de formatos, cores e tamanhos diferentes.

“Vamos derreter tudo e criar um coração em homenagem a Maria, mãe de Jesus”, disse à BBC Brasil Daniele Venturi, presidente da associação. “Queremos que esses jovens encontrem o caminho da verdade”.

Esses jovens católicos vão pelas ruas da capital da Itália oferecendo aos jovens o rosário em troca do piercing, dizendo: “Me dá teu piercing em troca de um rosário. Vamos rezar juntos”? E “Para que colocar mais um peso na cabeça? Larga este ferro. Te liberta”.

As duas dimensões da família

O casal que reza junto não se separa diante das dificuldades

São Paulo diz que os maridos devem amar as suas esposas. Você está disposto a amar a sua esposa a ponto de se entregar por ela?

É dogma de fé que a Igreja é santa, nunca podemos dizer que a instituição criada por Cristo tem pecado, pois os pecados são dos filhos dela [Igreja], os pecados são nossos. E por que a Igreja é santa? Porque Cristo entregou-se por ela na cruz, para que ela fosse sem mácula.

Pela mentira o demônio quer destruir os casamentos, quando se mente para o marido ou para a esposa, você está dando ocasião para o maligno.

Catequese do Papa: Santo Afonso Maria de Ligório

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 30 de março de 2011 (ZENIT.org) - Apresentamos, a seguir, a catequese dirigida pelo Papa aos grupos de peregrinos do mundo inteiro, reunidos na Praça de São Pedro para a audiência geral.

***
Queridos irmãos e irmãs:
Hoje eu gostaria de vos apresentar a figura de um santo Doutor da Igreja, a quem devemos muito, pois foi um eminente teólogo e mestre de vida espiritual para todos, especialmente para as pessoas simples. Ele é o autor da letra e da melodia de uma das canções natalinas mais famosas da Itália, ‘Tu scendi dalle stelle', além de muitas outras coisas.

Pertencente a uma família napolitana rica e nobre, Afonso Maria de Ligório nasceu em 1696. Dotado de grandes qualidades intelectuais, com apenas 16 anos se graduou em direito civil e canônico.

Os catolicos e a Virgem Maria

- Por que os católicos adoram a Maria? Somente se deve adorar a Deus.

Antes de tudo, terá que dizer que os católicos não adoram à Virgem Maria. O culto que lhe professamos não é adoração, posto que esta corresponde unicamente a Deus. Os católicos veneram a Santa Maria, porque Ela é a mulher a quem Deus escolheu para que fora a Mãe de Cristo. Quer dizer, Maria não é uma pessoa qualquer, é a Mãe do próprio Deus. Recordemos a passagem da visitação:

"E aconteceu que, assim que Isabel ouviu a saudação de Maria, saltou de gozo o menino em seu seio, e Isabel ficou cheia de Espírito Santo; e exclamando com grande voz, disse: «Bendita és tu entre as mulheres e bendito o fruto de seu seio. »" (Lc 1, 41-42)

Tornar-se pequenos como Santa Teresa para alcançar o amor

Vaticano, 06 Abr. 11 / 01:53 pm (ACI)

Na Audiência Geral de hoje, o Papa Bento XVI falou sobre a Santa Teresa de Lisieux ou Santa Teresa do Menino Jesus, quem com sua vida mostrou que para alcançar a plenitude do Amor, a Deus, é necessário fazer-se pequeno com humildade, procurando o Senhor nas Escrituras e na Eucaristia, para doar a vida por outros.
Na audiência de hoje celebrada na Praça de São Pedro ante 10 000 pessoas, o Papa recordou aos presentes que a santa "viveu neste mundo somente 24 anos, ao final do século XIX, conduzindo uma vida muito simples e escondida, mas que, após a morte e a publicação dos seus escritos, tornou-se uma das santas mais conhecidas e amadas".

Deus é amor

Pe. Raniero Cantalamessa

Segunda Prédica de Quaresma

DEUS É AMOR

O primeiro e fundamental anúncio que a Igreja tem a missão de levar ao mundo, e que o mundo espera da Igreja, é o amor de Deus. Mas, para terem como transmitir esta certeza, é preciso que os próprios evangelizadores sejam intimamente permeados por esse amor, que tem que ser a luz da sua vida. É para esta meta que, pelo menos em mínima parte, a presente meditação pretende se dirigir.

A expressão “amor de Deus” tem duas acepções bem diferentes: uma em que Deus é objeto e a outra em que Deus é sujeito: uma que indica o nosso amor por Deus e a outra que indica o amor de Deus por nós.

Aborto: os números de Portugal

DESDE QUE PORTUGAL APROVOU O ABORTO OS NUMEROS SAO ASSUSTADORES:

- EM 2007 FOI O PRIMEIRO ANO EM QUE O NUMERO DE MORTES SUPEROU OS NUMERO DE NASCIMENTOS.
- EM 2009 FOI O PRIMEIRO ANO COM MENOS DE 10.000 NASCIMENTOS!

ABORTOS LEGAIS “POR OPÇÃO DA MULHER” REALIZADOS NOS 3 ANOS QUE SE SEGUIRAM À ENTRADA EM VIGOR DA LEI 16/2007 (JULHO DE 2007):

Novena de Pentecostes - 1º dia

Ministério de música e a cultura de Pentecostes

No nosso tempo, ávido de esperança, fazei com que o Espírito Santo seja conhecido e amado. Assim, ajudareis a fazer que tome forma àquela "cultura do Pentecostes", a única que pode fecundar a civilização do amor e da convivência entre os povos. Com insistência fervorosa, não vos canseis de invocar: "Vem, ó Espírito Santo! Vem! Vem!". (Papa João Paulo II)


As palavras do saudoso papa João Paulo II, ditas aos líderes da RCC na Itália, contém fortes elementos que podem nos despertar para a importância de se permanecer fiel a um sentido estrito na forma de atuação do Ministério de Música e Artes da RCC.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...