"Conservar a unidade do espirito pelo vinculo da paz!"

A Renovação Carismática Católica apresenta o tema que direciona e une suas ações em 2014

Grupo de oracao Sao Miguel

Venha ter uma nova experiência com Deus e viver a cultura de Pentecostes. Te esperamos! Todas as quintas-feiras - 20h

Venha rezar conosco e dar um novo sentido para vida!

O Senhor nos chama a este tempo de real mudança de vida

Ministerio Shekinah

“Todos nós, porém, com o rosto descoberto, refletimos a Glória do Senhor!” 2 Cor 3,18

Questoes de Fe

Entenda um pouco mais a fé Católica, explicada de maneira clara e sucinta, em alguns dos temas mais usados nos ataques feitos pelos inimigos da Santa Igreja de Cristo

Archive for Agosto 2011

Carta de um sacerdote ignorada pelo NYT

Sacerdote ao “New York Times”: “Sinto-me feliz e orgulhoso pela minha vocação”
 

Carta de um missionário de Angola
Por Nieves San Martín


LUANDA, segunda-feira, 31 de maio de 2010 (ZENIT.org).- "Sou um simples sacerdote católico. Sinto-me feliz e orgulhoso pela minha vocação. Vivo em Angola como missionário há vinte anos." Assim começa a carta que o missionário salesiano uruguaio Martín Lasarte enviou ao New York Times sem obter resposta. Na carta, explica o trabalho silencioso a favor dos mais desfavorecidos da maioria dos sacerdotes da Igreja Católica que, contudo, "não é notícia".

Na carta remetida a ZENIT pelo Pe. Martín Lasarte, ele explica que a enviou dia 6 de abril ao jornal nova-iorquino e desde então não obteve resposta. Nela, expressa seus sentimentos diante da onda midiática despertada pelos abusos de alguns sacerdotes, enquanto pouco surpreende o interesse que desperta nos meios o trabalho cotidiano de milhares e milhares de sacerdotes.

O Caráter Divino da Igreja

‘Onde está a Igreja aí está o Espírito Santo’

Pela vida da Igreja, e sua história, podemos ver com clareza a sua transcendência e divindade. Nenhuma instituição humana sobreviveu a tantos golpes, perseguições, martírios e massacres. A sua divindade provém, antes de tudo, d’Aquele que é a sua Cabeça, Jesus Cristo. Ele fez da Igreja o Seu próprio Corpo (cf. Cl 1,18).

Podemos dizer que, humanamente falando, a Igreja, como começou, tinha tudo para não dar certo. Em vez de escolher os “melhores” homens do Seu tempo: generais, filósofos gregos e romanos, entre outros, Jesus preferiu escolher doze homens simples da Galileia, naquela região desacreditada pelos próprios judeus. “Será que pode sair alguma coisa boa da Galileia?” (Jo 1,46).

Para deixar claro a todos os homens de todos os tempos e lugares, o Senhor preferiu “escolher os fracos para confundir os fortes” (I Cor 1, 27), e também para mostrar que “todo este poder extraordinário provém de Deus e não de nós” (II Cor 4,7); para que ninguém se vanglorie do serviço de Deus.

O Islamismo e a Igreja

Enquanto no Ocidente o Cristianismo se propagava sempre mais, no Oriente e no Norte da África sofreu sérias restrições por parte do Islamismo fundado no século VII

A pessoa de Maomé

Maomé (Muhammad-ibn-Abdallag-ibn-Mottalib) nasceu em Meca (Arábia Central) provavelmente em 580. Faleceu com pouco mais de 50 anos, em 632. Desde adolescente, viajava com seu tio comerciante em caravanas pela Arábia, a Assíria e a Mesopotâmia, o que lhe proporcionou o contato com judeus e cristãos.

Por volta de 610/11, Maomé efetuou sua "conversão". Profundamente impressionado pela desunião dos homens entre si, tornava-se cada vez mais meditativo: entregava-se a severas práticas de mortificação e retirava-se para a montanha a fim de rezar a sós. Certa vez, na "Noite do Destino", terá tido uma visão: em sonho, estranho personagem lhe apareceu trazendo nas mãos um rolo de pano coberto de sinais e mandando-lhe que lesse; após relutar contra essa ordem no sonho, Maomé acordou, consciente de que finalmente um livro descera em seu coração. Percebia uma voz que lhe falava em nome de Deus, atribuindo-lhe a missão de reformar as crenças, pôr termo à idolatria e às disputas religiosas do seu povo, indicando a todos o caminho do céu.

A participação na Santa Missa

Infelizmente hoje em dia é comum que haja uma compreensão incorreta do que seja a participação na liturgia, e isto leva a enganos e abusos que muito têm contribuído para afastar a muitos da Igreja.

A noção de "participação" (pedida pelo Concílio Vaticano II e, antes disso, por vários Sumos Pontífices) está, ao contrário do que sempre foi a sua compreensão na Igreja, sendo vista como não mais uma real participação do cristão m uma ação da Igreja, mas como uma participação meramente acidental, que não leva em consideração a necessária ordenação hierárquica dos modos de participação.

A participação deve ser ordenada hierarquicamente por ordem de importância, não por ordem de visibilidade (que frequentemente aliás vem a ser o seu exato oposto). Assim, a participação do corpo deve ser subordinada à participação da alma, e a participação da vontade à participação do intelecto. Infelizmente muitos consideram ser mais importante que tenhamos uma assembléia reunida a responder em alta voz as partes que lhes competem da liturgia que uma assembléia que esteja compreendendo o que está se passando (e, evidentemente, o que está ou não a dizer), e que esteja, em sua alma, participando.

O batismo de crianças nos Padres da Igreja e na História

O batismo de crianças é uma prática imemorial da Igreja, tendo sido instituída pelos Apóstolos. Nestas linhas não pretendo me aprofundar nos argumentos bíblicos em favor do batismo das crianças (pois já foram tratados em outra ocasião), mas nos testemunhos que a Igreja nos deixou ao longo da História, em favor desse sacramento pelo qual somos sepultados com Cristo em sua morte, a fim de que, da mesma forma como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos através da glória do Pai, também nós possamos viver uma nova vida. Tratarei, ainda que brevemente, das heresias que ao longo dos séculos ergueram obstáculos para que as crianças fossem regeneradas pelo nascer da água e do espírito, e sua evolução através da História.

O BATISMO DAS CRIANÇAS NOS PADRES DA IGREJA (SÉCULOS I A IV)

Nos primeiros quatro séculos da Era Cristã encontramos total unanimidade acerca dessa matéria. Há numerosos testemunhos de Padres da Igreja que falam da importância do batismo das crianças. Houve também quem optasse por retardar o seu batismo, mas por razões censuradas pela Igreja, como para não ter que largar a vida pecaminosa e, assim, obter o perdão dos pecados no momento da morte (algo bastante insensato, visto que ninguém sabe em que momento irá morrer ou se terá ainda chance de ser batizado); ou livrar-se das penitências que teriam que ser feitas caso tornasse a pecar após o batismo.

Valor da Patrística para a Teologia

O termo teológico “Patrística” estende-se à era de atuação dos Padres da Igreja, sua época e suas obras, especificamente entre os séculos II ao séc. VII. E reflete sobre todo o trabalho que realizaram estes homens, nas áreas dogmática, doutrinária, exegética, filosófica e teológica. Os Padres da Igreja encontram-se entre as mais importantes figuras da Igreja, pelo notável empenho que tiveram além de suas colaborações as perspectivas doutrinárias da Teologia. No período Patrístico consolida-se a doutrina da Igreja em seus aspectos fundamentais, vencem-se as heresias e as controvérsias doutrinárias que ameaçavam a integridade da fé e a continuidade da Igreja.

Esta era é encabeça por homens movidos pela providência Divina para auxilio da Igreja em momentos difíceis, foram os verdadeiros Guardas do Deposito de fé, a Tradição. As testemunhas mais próximas e fieis da Tradição “da qual os Padres da Igreja são as testemunhas sempre atuais” assim se proclama o Catecismo (CIC nº 688).

O Concílio Vaticano I

O Concílio do Vaticano I - O Concílio do Vaticano I foi o acontecimento de maior relevo na História da Igreja do século XIX.

Os preparativos
Mais de trezentos anos haviam decorridos após a última assembléia do Concílio de Trento (3-4/12/1563), quando Pio IX, em dezembro de 1864, comunicou secretamente aos cardeais a sua intenção de reunir novo Concílio Ecumênico: os tempos, ingratos como eram, o exigiam; era preciso deliberar sobre os remédios a oferecer-lhes - o que se faria por excelência num Concílio68.

A Bula de convocação saiu aos 29/06/1868, convidando também os protestantes e os ortodoxos separados; estes, porém, não compareceram. a notícia de um próximo Concílio suscitou entusiasmo e também apreensões; o público só sabia que seriam condenados erros contemporãneos, reafirmada a doutrina da Igreja, revistas a disciplina, a obra missionária, a formação dos seminaristas.

Os amigos de Jo

Seu melhor amigo perdeu um filho tragicamente: o que dizer a ele? O vizinho do prédio está numa depressão terrível: como animá-lo? A colega de trabalho está sofrendo com a prolongada doença do pai: com que palavras consolá-la?

A vida coloca você diante de situações para as quais escola alguma o preparou. E o grave é que uma palavra precisa ser dita, um gesto deve ser feito e uma decisão, tomada. Mas quais? Você sabe muito bem que, em horas assim, a boa vontade não é suficiente. Não lhe faltam recordações de palavras que, longe de terem se revelado rico consolo para o outro, deixaram você em situação constrangedora.

Nesse campo, temos muito que aprender de Jó, cuja vida e agruras foram retratadas no livro bíblico que leva o seu nome. Sua figura comove: “Homem íntegro e reto, temia a Deus e se afastava do mal” (Jó 1,1); rico e famoso, despertou suspeitas em alguns contemporâneos e, também, em Satanás: para eles, não havia mistério algum em suas virtudes. Afinal, como tudo corria bem na vida de Jó, era fácil compreender que fosse correto. Mas, e se sua situação mudasse? E se os bens que tinha fossem atingidos? Será que, mesmo assim, ele ainda permaneceria fiel a Deus?

"Reforma" protestante - por Lutero


PHN em Porto Alegre


Maria e o inicio da nova criacao

Neste artigo queremos através da arte da poesia, interpretar a arte da iconografia e para isso vamos nos utilizar de um hino muito antigo de devoção a Theotokos (Mãe de Deus), o Akatistos. A sua tradução significa literalmente “não sentado”, ou seja, para ser lido em pé, pois foi quando os persas cercaram a cidade de Constantinopla, o Patriarca Sérgios, acompanhado de todo o povo marchou ao longo da grande muralha de Constantinopla com um ícone da Theotokos na mão.

Inesperadamente uma grande tempestade com enormes maremotos destruiu a maior parte da frota persa. Daí, os fiéis espontaneamente lotaram a Igreja da Theotokos e todos “de pé” cantaram durante toda a noite hinos de gratidão e louvor. O Akatistos data do século IV e foi oficialmente aprovado pela Igreja a partir do século VI

Este foi um dos primeiros ícones feitos como Carisma Shalom, auxiliado por teólogos, liturgistas, hinógrafos e foi escrito juntamente com o ícone do Príncipe da Paz que comentaremos nos próximos meses, pois a Mãe de Deus nunca é representada só, mas sempre com seu filho.

GO São Miguel convida:


As boas obras

Deus julgará a todos não somente pela fé, mas principalmente pelas obras associadas à fé de modo inseparável.

Antigo Testamento

"Darás a cada um conforme as sua obras, que conheces que ele tem no seu coração, pois que só tu conheces os corações dos filhos dos homens." (2o. Paralipômenos, VI, 30).

"O poder é de Deus, e a ti, Senhor, a misericórdia; porque tu retribuirás a cada um segundo as suas obras." (Salmos LXI, 12 e 13)

"Se tu disseres: As forças não me ajudam, o mesmo que é inspetor do coração o conhece e ao guardador da tua alma nada se esconde e Ele retribuirá ao homem segundo as sua obras." (Provérbios XXIV, 12).

A Besta do Apocalipse

Um dos símbolos mais mal entendidos no livro do Apocalipse é a besta que surge do mar no capítulo 13 (há também uma besta da terra, mas este artigo não focará nela).

São excessivas as especulações sobre a identidade da besta. Os anticatólicos frequentemente a identificam com um futuro “Império Romano restaurado”, o qual eles também querem conectar, de um modo ou de outro, com a Igreja Católica.

Para descobrir quem é a besta realmente, é preciso olhar seriamente para o texto em questão.

Frequentemente, as pessoas raciocinam assim: A besta tem dez chifres e surge do mar (13,1). Em Daniel 7, o profeta Daniel viu uma série de quatro bestas ascendendo do mar, a última das quais tinha dez chifres (Dn 7,7). Logo, a besta de João é a mesma que a quarta besta de Daniel. Aquela besta simbolizava o Império Romano. Logo, esta besta simboliza o Império Romano.

Juventude Católica e ateus e Ativistas gays - Madrid 2011


O Papa anuncia que a seguinte JMJ será no Rio de Janeiro em 2013


MADRI, 21 Ago. 11 / 09:53 am (ACI/EWTN Noticias)
Ao concluir a Missa de envio no aeródromo de Quatro Ventos em Madrid (Espanha), o Papa Bento XVI anunciou que a seguinte Jornada Mundial da Juventude será na cidade do Rio de Janeiro no Brasil.

O anúncio fez saltar de alegria todos os brasileiros presentes assim como muitos dos latino-americanos reunidos para esta JMJ Madrid 2011.


Ao fazer o esperado anúncio, o Santo Padre disse: "agrada-me anunciar agora que a sede da próxima Jornada Mundial da Juventude, em 2013, será o Rio do Janeiro", logo depois do qual teve que fazer uma pausa pela euforia vivida após estas palavras.
Em declarações ao grupo ACI em Quatro Ventos, o jovem brasileiro Felipe Vilvert do Paraná, comentou que "estamos muito felizes porque o Papa anunciou isto. Isto é mais importante que a Copa doMundo, o Rock’n Rio ou as Olimpíadas. Assim que os brasileiros estão todos muito, muito felizes hoje".

Chegaremos à santidade lutando!

Não somos destinados à ira, e sim a alcançar a salvação por Nosso Senhor Jesus Cristo. Deus não quer que sejamos o joio, que será arrancado e lançado ao fogo, mas sim o trigo d'Ele, que será levado com Ele.

“A vontade de Deus é a vossa santificação” (1Ts 4,3).

A palavra “santificação” fala de trabalho, de esforço, de luta, de transformação. É a nossa santificação. Vamos deixando o “homem velho” e conquistando o “homem novo”. Perceba: não é impossível! Para nós é difícil, mas por meio do Espírito Santo, que nos foi dado, isso se torna possível. Deus nunca nos pede algo impossível de ser realizado, ao contrário, se Ele está mandando, é porque é possível. Pelo Seu Espírito chegaremos à santidade. Basta querer, lutar e tudo acontecerá!
Deus te abençoe!

Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova
(Trecho do livro "Eu e minha casa serviremos ao Senhor" de monsenhor Jonas Abib).

Como não ler a Bíblia...

Pra descontrair...



Sao Sebastiao



No século III da era cristã, à época em que o governo da Santa Igreja estava em mãos do Papa São Marcelino (296-304), governava o Império Romano, Dioc1eciano (284-305).

Pagão inveterado era ele, sem dúvida, um homem de grandes dotes de administrador. No ano de 286, concebeu um plano inteiramente novo para combater os inimigos que o acometiam, associando-se ao seu rude companheiro de armas Maximiano (286-305), designando-lhe a parte ocidental do Império, enquanto ele próprio governava todo o Oriente. Ambos esses regentes –– o oriental e o ocidental –– passariam a ser tratados pelo título de Augustos.

No ano de 293, Diocleciano empreendeu nova subdivisão do Império, designando dois “Césares” para auxiliar os dois “Augustos” no governo e suceder-lhes no trono, vinte anos depois, em virtude da renúncia automática de ambos. Galério Máximo, militar valente, mas grosseiro, inculto, fanático adorador dos ídolos e acérrimo inimigo dos cristãos, foi indicado por Diocleciano como César oriental. E Constâncio Cloro, pai do futuro imperador Constantino, general benévolo e competente, como César do Ocidente.

O dom do conselho, sabedoria de Deus

“Mas, ao lado de vós, está a sabedoria que conhece vossas obras: ela estava presente quando fizestes o mundo, ela sabe o que vos é agradável, e o que se conforma às vossas ordens.Fazei-a,pois, descer de vosso santo céu, e enviai-a do trono de vossa glória, para quer, junto de mim, tome parte em meus trabalhos, e para que eu saiba o que vos agrada.” Sab 9, 9-10

Em 25 de outubro de 1978, no início de seu pontificado, o então Papa e agora Beato João Paulo II diz na sua audiência geral: “Eu, que hoje vos estou falando como Papa, pergunto a mim mesmo, que devo fazer como novo Papa para agir com prudência? Quem governa deve ser prudente, deve aprender a meditar incessantemente sobre os problemas, mas acima de tudo, deve orar e procurar ter o dom do Espírito Santo que se chama o dom do conselho. Todos os que desejam que o novo Papa seja pastor prudente da Igreja,implorem o dom do conselho para ele. E também para si mesmos peçam este dom pela intercessão especial da Mãe do Bom Conselho.”

Atores de Transformers e High School Musical apresentam o lado católico de Hollywood

MADRI, 18 Ago. 11 / 09:36 am (ACI/Europa Press)

O ator de 'Transformers' Matthew Marsden assegurou que os atores e atrizes de Hollywood "não são só entretenimento" e que muitos deles "são católicos, têm fé e vão à igreja com suas famílias" embora isto não saia nas revistas.

"Não vamos ver nos titulares que um ator vai à missa, mas há muitos atores católicos em Hollywood", sublinhou Marsden que quis "mostrar esse outro lado" da balança do cinema durante a apresentação do Programa de Cinema da JMJ no qual serão exibidos vários filmes de temática religiosa.

Durante a roda de imprensa para explicar o programa cinematográfico que pela primeira vez na história é incluído na JMJ, a responsável da área de Cultura da JMJ, Carla Díez de la Rivera, destacou que "o Senhor está esperando no tapete vermelho da rua do Fuencarral para aproximar-se dos corações" porque, em sua opinião, Deus quer falar através do conteúdo plasmado em um filme ou através das interpretações dos distintos atores.

A Assunção de Maria

O mês vocacional caminha com os acontecimentos históricos que marcam nossa vida e nossa caminhada. Estamos na Semana Nacional da Família e na Jornada Mundial da Juventude, que ocorre nestes dias em Madri, com a presença do Papa Bento XVI.

A solenidade da Assunção de Maria, que celebraremos no próximo final de semana, ilumina as orações pela vida consagrada. São tantas formas antigas e atuais de vida religiosa e novas comunidades, que seria louvável que nós, ao agradecermos a Deus por essas vocações de especial consagração, também rezemos pelo aumento e santificação das mesmas. A solenidade da Assunção nos ilumina tanto nessa vocação como também em nossa vocação à eternidade.

O Papa Pio XII, com a Constituição Apostólica "Munificentissimus Deus", de 1º de novembro de 1950, proclamou solenemente o dogma da Assunção da Bem-aventurada Virgem Maria: "A glória do Deus Onipotente, que derramou sobre a Virgem Maria o seu favor especial, para a honra do seu Filho, Rei imortal dos séculos e vencedor do pecado e da morte,

Por que os jovens vão à JMJ?

Para encontrar a Cristo, numa experiência única, afirma cardeal Scherer

ROMA, quarta-feira, 17 de agosto de 2011 (ZENIT.org) – Por que os jovens vão à Jornada Mundial da Juventude? – pergunta o arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Scherer.

“Por quem vão? Vão para se encontrar, é verdade, mas poderiam fazer isso também em seus países. Vão para conhecer a Espanha e fazer turismo?”

“Certamente – prossegue o cardeal –, aproveitarão os dias também para absorver algo da imensa riqueza cultural e turística da Espanha.”

JMJ Madrid 2011 prova que "a Igreja está viva e é jovem"

O Arcebispo de Oviedo na Espanha, Dom Jesus Sanz Montes, presidiu nesta segunda-feira a missa de envio dos jovens que participarão a partir de amanhã em Madri na Jornada Mundial da Juventude e recordou em sua homilia que "os milhares de jovens que estes dias encheram as ruas asturianas de alegria cristã fazem comprovar, como já disse Bento XVI que a Igreja está viva e é jovem".

A Missa, celebrada na praça da catedral, contou com a assistência de umas cinco mil pessoas, boa parte deles os jovens vindos de países da Europa, Ásia, África e América, que desde a quinta-feira passada se alojam na região e que nesta mesma segunda-feira partem para Madrid.

Quaresma de São Miguel Arcanjo

Histórico Quaresma São Miguel
São Francisco foi um santo em que sua vida mortal procurava nutrir muito sua alma, para não esfriar o seu amor por Jesus, um espírito de oração e sacrifício muito grande. Tal era que ele realizava por ano três quaresmas além de um outro período de jejum e oração em honra da Mãe de Deus pela qual tinha uma doce e especial amor, que ia da festa de São Pedro e São Paulo até a festa da Assunção.
Foi de um modo muito especial que na quaresma de São Miguel, Deus coroou Francisco de graças abundantes dentre elas o de marcá-lo em seu corpo, pelo profundo desejo de imitar ao seu filho Jesus Cristo, com os sinais de sua Paixão todas essas quaresma era realizada no Monte Alverne. Alverne: verna vem de vernare verbo utilizado por Dante e que significa “fazer frio”, gela.
São Boaventura diz em sua Legenda Maior em seu capítulo 9, parágrafo 3 dos escritos biográficos de São Francisco: “um vínculo de amor indissolúvel unia-o aos anjos cujo maravilhoso ardor o punha em êxtase diante de Deus e inflamava as almas dos eleitos”.

Não há conflitos entre ETs e a Igreja

Inspirado pelo que chama de "época de ouro" da conquista do espaço, que culminou com a chegada do homem à Lua em 1969, José Funes, então com seis anos, decidiu ser astrônomo. Quase 15 anos depois, porém, ouviu outro chamado, desta vez de Deus. Assim, logo depois que obteve seu diploma de astrônomo da Universidade de Córdoba, na Argentina, em 1985, ingressou na ordem dos jesuítas, recebendo novo diploma em filosofia antes de seguir para Roma, onde foi ordenado.

Em 2006 os dois caminhos se encontraram e Funes foi apontado diretor do Observatório do Vaticano pelo Papa Bento XVI. Homem de fé e de ciência, ele defende o diálogo como forma de superar os conflitos. Para ele, o Big Bang e o Gênesis não são contraditórios, e sim caminhos diferentes da eterna busca humana pelo conhecimento e pela verdade.

Tu és na verdade Mãe de Deus!

Na Oitava do Natal, primeiro dia de janeiro, a Igreja celebra a Virgem Maria chamando-a de "Mãe de Deus". Este título é antiquíssimo. Com toda certeza, já no século III, os cristãos designavam assim a Toda Santa Virgem Maria.

Proclamar que a Virgem é Mãe de Deus é asseverar que realmente em Jesus há uma só pessoa divina, a segunda da Santíssima Trindade que, no ventre de Maria, assumiu realmente a nossa natureza humana. Este título foi confirmado oficialmente pelo Concílio de Éfeso, em 431, que combateu a heresia de Nestório. Este afirmava que Nossa Senhora seria somente Mãe do homem Jesus, como se no nosso Salvador houvesse duas pessoas, uma humana e outra divina! Mas, não! Em Jesus há um só eu, uma só pessoa, um só sujeito: o Filho eterno do eterno Pai. Ele, sendo de natureza divina, assumiu também a natureza humana, de modo que no ventre da Virgem, Deus-Filho humanizou-se realmente, assumindo o que é humano para salvar o humano!

Os incomodados que se retirem! Será?

Quem já não ouviu esta expressão que dá título ao texto? E quantas vezes até nós mesmos já nos usamos dela?

Pois bem, a verdade é que as coisas estão mudando, a tal modernidade muda até o vigor dos ditos populares, o que temos visto e presenciado é que os incomodados retiram aqueles que supostamente incomodam, e o pior, cria-se leis para tal.

Há poucos dias na França ocorreu que uma freira foi convocada junto com outros professores para um mutirão com o fim de corrigir provas escolares que estavam atrasadas, e como era de se esperar esta freira foi trajando seu hábito, veste própria da congregação que ela pertence.

Até ai sem problemas, quer dizer, é ai que começa o problema!

Catecismo da Igreja Católica... nascido da virgem Maria

PRIMEIRA PARTE

A PROFISSÃO DA FÉ
SEGUNDA SECÇÃO

A PROFISSÃO DA FÉ CRISTÃ

PARÁGRAFO 2

II. ...nascido da Virgem Maria
487. O que a fé católica crê, a respeito de Maria, funda-se no que crê a respeito de Cristo. Mas o que a mesma fé ensina sobre Maria esclarece, por sua vez, a sua fé em Cristo.
A PREDESTINAÇÃO DE MARIA
488. «Deus enviou o seu Filho» (GI 4, 4). Mas, para Lhe «formar um corpo» (129), quis a livre cooperação duma criatura. Para isso, desde toda a eternidade, Deus escolheu, para ser a Mãe do seu Filho, uma filha de Israel, uma jovem judia de Nazaré, na Galileia, «virgem que era noiva de um homem da casa de David, chamado José. O nome da virgem era Maria» (Lc 1, 26-27):

Respostas a questões relativas a alguns aspectos da Doutrina sobre a Igreja

 
CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ
RESPOSTAS A QUESTÕES RELATIVAS A ALGUNS ASPECTOS
DA DOUTRINA SOBRE A IGREJA

Introdução
É de todos conhecida a importância que teve o Concílio Vaticano II para um conhecimento mais profundo da eclesiologia católica, quer com a Constituição dogmáticaLumen gentium quer com os Decretos sobre o Ecumenismo (Unitatis redintegratio) e sobre as Igrejas Orientais (Orientalium Ecclesiarum). Muito oportunamente, também os Sumos Pontífices acharam por bem aprofundar a questão, atendendo sobretudo à sua aplicação concreta: assim, Paulo VI com a Carta encíclica Ecclesiam suam (1964) e João Paulo II com a Carta encíclica Ut unum sint (1995).

Santo Efrém da Síria


Por Papa Bento XVI

Segundo uma opinião comum hoje, o cristianismo seria uma religião européia, que teria exportado a cultura deste continente a outros países. Mas a realidade é muito mais complexa, pois a raiz da religião cristã se encontra no Antigo Testamento e, portanto, em Jerusalém e no mundo semítico. O cristianismo se alimenta sempre desta raiz do Antigo Testamento. Sua expansão nos primeiros séculos aconteceu tanto para o Ocidente como para o mundo greco-latino, onde depois inspirou a cultura Européia, como para o Oriente, até a Pérsia, Índia, ajudando deste modo a suscitar uma cultura específica, com línguas semíticas, e com uma identidade própria.

Para mostrar esta multiformidade cultural da única fé cristã dos inícios, na catequese da quarta-feira passada falei de um representante deste outro cristianismo, Afraates o sábio persa, para nós quase desconhecido. Nesta mesma linha, quero falar hoje de Santo Efrém o sírio, nascido em Nisibis em torno do ano 306, no seio de uma família cristã.

Creio na vida eterna

Catecismo Maior de São Pio X

245) Que nos ensina o último artigo do Credo: na vida eterna?
O último artigo do Credo ensina-nos que depois da vida presente há outra, ou eternamente feliz para os eleitos no Paraíso, ou eternamente desgraçada para os
condenados no Inferno.


246) Podemos compreender a felicidade do Paraíso?
Não. Não podemos compreender a felicidade do Paraíso, porque excede os conhecimentos da nossa inteligência limitada, e porque os bens ao Céu não podem comparar-se aos bens deste mundo.

247) Em que consiste a felicidade dos eleitos?
A felicidade dos eleitos consiste em ver, amar e possuir para sempre a Deus, fonte de todo o bem.

GO São Miguel convida:


Qual a base bíblica para a doutrina do Purgatório?

Deus nos manda sermos santos: "Dirás a toda a assembléia de Israel o seguinte: sede santos, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo" (Lv 19,2).

A Bíblia ensina em diversas oportunidades que na morada de Deus não entra o pecado. Vejamos por exemplo Hebreus:

"E tão terrível era o espetáculo, que Moisés exclamou: Eu tremo de pavor. Vós, ao contrário, vos aproximastes da montanha de Sião, da cidade do Deus vivo, da Jerusalém celestial, das miríades de anjos, da assembléia festiva dos primeiros inscritos no livro dos céus, e de Deus, juiz universal, e das almas dos justos que chegaram à perfeição, enfim, de Jesus, o mediador da Nova Aliança, e do sangue da aspersão, que fala com mais eloqüência que o sangue de Abel" (Hb 12,21-24) (grifos meus).

O Apocalipse confirma que na “cidade do Deus vivo, da Jerusalém celestial” só entrarão as “almas dos justos que chegaram à perfeição”, veja:

O coroinha

COROINHA

Menino ou rapaz que, nas igrejas, exerce o papel de acólito nas funções litúrgicas. Menino do altar. Ajuda a missa. Acólito, na Igreja católica, é o ministro que acompanha e serve o celebrante dos atos litúrgicos. O documento litúrgico Ordines 34 e 35 descreve a ordenação de acólitos. No século IV, sua função era levar a Eucaristia aos ausentes e apresentar aos sacerdotes o sancta na ocasião da fração do pão. Somente pode exercer o acolitato o leigo homem com idade e qualidade estabelecidas pela Conferência dos Bispos (CIC, 230,1).

"O acólito é instituído para servir ao altar e auxiliar o sacerdote e o diácono. Compete-lhe principalmente preparar o altar e os vasos sagrados, bem como distribuir aos fiéis a Eucaristia, da qual é ministro extraordinário" (Instrução Geral sobre o Missal Romano - IGMR, 65). Trata-se do acólito como ministério concedido.

A Inquisição em seu mundo

Introdução:

A Inquisição é o tema mais usado para atacar a Igreja Católica. Mesmo os protestantes, que em nada ficam atrás da Igreja quando se trata de intolerância naquelas épocas usam esse tema para promover ofensivas contra os católicos, ignorando que também houve inquisições e chacinas protestantes muito mais cruéis que aquelas cometidas pela Santa Igreja.

As pessoas que promovem os ataques também ignoram o contexto social no qual nasceu a Inquisição. Ignoram que esse episódio se deu em uma época onde a Religião Católica era o sumo bem do povo que em geral era embrutecido pela barbárie ainda tão recente na Europa. Nesse texto, abordaremos com base nos livros de João Bernardino Gonzaga (A Inquisição em seu mundo) e Felipe Rinaldo de Aquino (Para entender a Inquisição) a Inquisição como ela tem que ser abordada, isto é, em seu contexto histórico, político e social.

Liturgia - Noções gerais

1 - A palavra liturgia significa ação do povo (leitós ergon). Nos meios católicos, quando se fala em Liturgia, já se pensa em templo, altar, Missa, Sacramentos, etc. Mas essa realidade tem que ser diferente, mesmo porque o conceito de Liturgia é anterior ao Cristianismo, mais velho do que a Igreja. Os hebreus e os outros povos já faziam liturgias. Só mais tarde é que a Igreja a assumiu e batizou. Firmemo-nos, portanto, no conceito verbal, primitivo, sem conotações de fé, religião, altar. Imaginemos um encontro de duas pessoas que se estimam, que se amam... De início, a explosão de alegria sem medidas, sem contornos; depois, um grande abraço, dois beijinhos, sorrisos, brilho nos olhos, uma conversa gostosa... Podemos dizer que, nesse encontro, aconteceram uma liturgia e um rito: a liturgia foi o encontro e toda a efusão de sentimentos que esse encontro provocou; o rito foi a formalização do encontro: um abraço (somente um), dois beijinhos (somente dois). Temos aí uma atitude essencialmente humana, imanente, existencial. 

Supermercado de religiões

Ultimamente estamos assistindo em muitos países à inauguração de um verdadeiro supermercado de religiões, no qual cada pessoa pode pegar os elementos necessários para construir sua própria religião, da forma que quiser, podendo deixar de lado conceitos como Verdade, Igreja, Pátria, Cultura e qualquer outra coisa que possa exigir esforço como, por exemplo, a moral sexual. Como argumento, declara que todas as religiões são iguais, atribuindo suas divergências a equívocos já superados.

São João Maria Vianney

João Maria Batista Vianney, era de origem pobre e humilde, foi o quarto filho de Mateus e Maria Vianney. Nasceu pouco antes de irromper a Revolução Francesa em 08 de Maio de 1786 em uma pequena aldeia, Dardilly, que fica perto de Limonest, a dez quilômetros ao norte de Lyon, na França. Foi batizado no mesmo dia em que nasceu. No batismo recebeu o nome de João, ao qual acrescentou o de Maria por especial devoção à Maria Santíssima.

Desde a infância, manifestava uma forte inclinação à oração e um grande amor ao recolhimento. Muitas vezes era encontrado num canto da casa, jardim ou no estábulo, rezando, de joelhos, as orações que lhe tinham ensinado: o Padre-Nosso, a Ave-Maria, etc. Os pais, principalmente a piedosa mãe, Maria, cultivavam no filho esse espírito de religião e de piedade, que o levou a crescer na fé e ser devoto de Maria Santíssima.

Durante os anos da Revolução Francesa, quando a igreja da vila foi fechada pela perseguição religiosa, ele continuava a rezar.

É recomendável comungar na boca e de joelhos

Em entrevista concedida à agência ACI Prensa, o Prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos no Vaticano, Cardeal Antonio Cañizares Llovera, assinalou que é recomendável que os católicos comunguem na boca e de joelhos.

Assim indicou o Cardeal espanhol que serve na Santa Sé como máximo responsável, depois do Papa, pela liturgia e os sacramentos na Igreja Católica, ao responder se considerava recomendável que os fiéis comunguem ou não na mão.

A resposta do Cardeal foi breve e singela: "é recomendável que os fiéis comunguem na boca e de joelhos".

Do mesmo modo, ao responder à pergunta da ACI Prensa sobre o costume promovido pelo Papa Bento XVI de fazer que os fiéis que recebam dele a Eucaristia o façam na boca e de joelhos, o Cardeal Cañizares disse que isso se deve "ao sentido que deve ter a comunhão, que é de adoração, de reconhecimento de Deus".

"Trata-se simplesmente de saber que estamos diante de Deus mesmo e que Ele veio a nós e que nós não o merecemos", afirmou.

Vem aí: 1ª Edição do Encontro Mundial de Jovens da RCC

Encontro geral de jovens da Renovação Carismática Católica pretende reunir milhares.

Foz do Iguaçu será palco de um momento histórico para a Igreja Católica, a 1ª Edição do Encontro Mundial de Jovens da RCC e paralelamente o XXX Congresso Nacional da Renovação Carismática Católica (RCC).

Encontro mundial – O Encontro Mundial de Jovens da Renovação Carismática Católica, primeiro evento realizado pelo Movimento com a proposta de reunir entre os dias 10 a 15 de julho a juventude carismática de diversos cantos do planeta.

A comunhão dos Santos

Depois de professar a fé na "Santa Igreja Católica", o Símbolo dos Apóstolos continua dizendo : "Creio na Comunhão dos Santos", artigo que, em certo modo, explícita o anterior: "O que é a Igreja, senão a assembléia dos santos?", afirma um autor antigo.

A Igreja é o Corpo de Cristo, no qual se integram os fiéis da terra, os que estão no purgatório e os santos do céu; e entre os três grupos existe uma comunhão de vida, igual àquela da família de cada membro que a compõe, comunhão de afeto e ajuda. Esta comunhão de vida e de bens sobrenaturais, que intercomunica os membros da Igreja com a Cabeça, que é Cristo e entre si, é o que se chama de Comunhão dos Santos.

IDÉIAS PRINCIPAIS:
1. Pelo batismo, começa-se a fazer parte do corpo da Igreja
Ao receber o batismo nos incorporamos à Igreja, que é o Corpo Místico de Cristo; por isso se diz que, pelo batismo, começamos a fazer parte do Corpo de Cristo. Ao receber a graça do sacramento, nos unimos a Cristo, que é a Cabeça deste corpo, e começamos a ser membros vivos.

Opus Dei: O que é?

Eis como o Opus Dei oficialmente se apresenta via internet:

Antes da auto-apresentação do Opus Dei, lembramos que prelazia pessoal é uma figura jurídica, dotada de uma série de privilégios e isenções, prevista no Código de Direito Canônico. Trata-se de uma organização com um prelado e fiéis (sacerdotes e leigos), reunidos por opção pessoal e não por uma questão territorial, como ocorre com os bispos diocesanos. No site brasileiro do Opus Dei, lê-se:

O Opus Dei é uma prelazia pessoal da Igreja Católica. Foi fundado em Madri a 2 de outubro de 1928 por São Josemaria Escrivã. Atualmente pertencem à prelazia cerca de oitenta mil pessoas dos cinco continentes. A sede prelatícia - com a igreja do prelado - encontra-se em Roma.

Retiro de Cura e Libertação

Dia do Padre: Parabéns Padre pelo teu sim!

Bem-aventuradas as mãos que seguram o próprio Senhor todos os dias
Bem-aventurados os pés que caminham na Verdade
Bem-aventurada a boca que anuncia a Paz e a Justiça
Bem-aventurados os ouvidos que escutam o Justo e o pecador
Bem-aventurado o nariz que cheira o perfume dos santos mártires
Bem-aventurados os olhos que contemplam a Glória de Deus em si
Bem-aventurados os sentimentos que sofrem com Cristo Jesus
Bem-aventurados os sentidos mortificados e crucificados
Bem-aventurado o corpo que morre para viver
Bem-aventurado o coração que se doa até a Cruz e se deixa transpassar por Amor
Bem-aventurada a alma pura que ilumina a escuridão
Bem-aventurada a razão que age na autoridade da Igreja
Bem-aventurado aquele que guia e protege o rebanho
Bem-aventurado o mediador entre Deus e o homem
Bem-aventurado se triste está o mundo
Bem-aventurado se alegre está o Céu
Bem-Aventurado dos bem-aventurados és tu ó Padre, porque és o Cristo na terra.


Go São Miguel convida:

Ecumenismo? A Legiao da Boa Vontade

Em síntese: A Legião da Boa Vontade (LBV), fundada por Alziro Zarur (1914-1979) na década de 1950, é hoje governada pelo Sr. José de Paiva Netto, também presidente da Religião de Deus. Pretende aproximar todos os homens entre si na base do amor fraterno, sem levar em conta as diferenças religiosas. A Religião de Deus, professada pela LBV, não é uma religião que abranja todas as crenças ou com a qual todas se possam identificar de algum modo, pois é francamente espírita e reencarnacionista; quem não compartilha a necromancia e o reencarnacionismo, há de se sentir constrangido e desambientado nessa religião de Deus.
De resto, não é preciso pertencer à LBV para pregar a aproximação dos homens entre si numa atitude fraterna; o Catolicismo apregoa a mesma coisa, todavia respeitando a verdade religiosa revelada por Deus. É São Paulo quem diz: "Seguindo (fazendo) a verdade em amor, cresceremos sob todos os aspectos em direção àquele que é a Cabeça, Cristo" (Ef 4,15).

Ninguém pode ser feliz se não for amado

O amor gera a vida; o egoísmo produz a morte. A psicologia mostra hoje, com toda clareza, que as graves perversões morais têm quase sempre como causa principal uma "frustração amorosa".

Os jovens se encaminham para as drogas, para o sexo vazio, para o alcoolismo e para tantas violências, porque são carentes de amor, 'desnutridos' de amor. A pior anemia é a do amor. Leva à morte do espírito. Ninguém pode ser feliz se não for amado, se não fizer uma experiência de amor. Se isso é importante na infância e na adolescência, também na vida conjugal isso é verdade. E esse "amor conjugal" começa a ser aprendido e treinado no namoro. Na longa viagem da vida conjugal, que começa no namoro, você precisa levar a bagagem do amor. Você amará de verdade o seu namorado não só porque ele é simpático, bonito ou porque é um atleta, mas porque você quer o bem dele e quer ajudá-lo a ser ainda melhor, com a sua ajuda.

O Filho do Homem virá ao nosso encontro

Caro Internauta, para sua meditação, este trecho de um sermão de São Bernardo (1091-1153), monge cisterciense e Doutor da Igreja:

«Esse Jesus que, ao separar-se de vós, se elevou nos céus voltará um dia da mesma forma como o vistes subir» (At 1,11). Virá, dizem aqueles anjos, da mesma forma. Virá então para nos buscar num cortejo único e universal, descerá precedido de todos os anjos e seguido de todos os homens para julgar os vivos e os mortos? Sim, é bem certo que Ele virá, mas virá da mesma forma como subiu aos céus e não da forma como desceu da primeira vez. Na verdade, quando veio outrora para salvar as nossas almas, foi na humildade. Quando vier para arrancar este cadáver ao sono da morte, para «o tornar semelhante ao Seu corpo glorioso» (Fl 3,21) e encher de honra este vaso que hoje é tão frágil, Ele mostrar-se-á em todo o Seu esplendor. Então veremos em todo o Seu poder e majestade aquele que outrora estava escondido sob a fraqueza da nossa carne...

A Sagrada Tradição apostólica da Igreja

Um dos pilares sobre os quais se assenta a fé da Igreja Católica é a Sagrada Tradição Apostólica. Esta Tradição, chamada pela Igreja de Sagrada, é tudo aquilo que ela recebeu dos Apóstolos e que a eles foi confiado diretamente pelo próprio Jesus Cristo. Não se trata da tradição dos homens, mas somente daquilo que se refere à salvação das almas, e que nos foi deixado pelo Senhor. Sabemos que o Magistério da Igreja extrai todo o ensinamento que dá aos fiéis, da Revelação Divina, que se compõe da Tradição (oral) que veio dos Apóstolos e da Tradição (escrita), a Bíblia. É sobre essa Tradição (escrita e oral), com igual importância nas duas formas, que o Magistério assenta seus ensinamentos infalíveis.

Portanto, a Igreja católica não se guia apenas pela Bíblia (a Revelação escrita), mas também pela Revelação oral que chegou até nós. Sem esta última, nem mesmo a Bíblia existiria como a temos hoje, já que ela foi ´berçada´ ´ como diz D. Estevão Bettencourt ´ e redigida pela Igreja. A transmissão do Evangelho, feita pelos Apóstolos, fez-se de duas maneiras: oralmente e, depois, por escrito, cerca de 20 anos após a morte de Jesus.

História das Jornadas

A Jornada Mundial da Juventude foi celebrada pela primeira vez, de maneira oficial, no Domingo de Ramos de 1986, em Roma. A partir de 1987 e depois, a cada dois anos, como regra geral, organiza-se a Jornada Mundial da Juventude em algum lugar determinado do mundo.

Em 1987, os jovens foram convocados a Buenos Aires, onde 1 milhão de participantes escutaram as seguintes palavras do Papa: "Repito ante vós o que venho dizendo desde o primeiro dia do meu pontificado: que vós sois a esperança do Papa, a esperança da Igreja." (.) Dois anos depois, 600 mil jovens foram em peregrinação à cidade espanhola de Santiago de Compostela. Em 1991, 1 500 000 participantes participaram da Jornada no santuário mariano da cidade polonesa de Czestochowa. Depois da queda do Muro de Berlim, essa foi a primeira ocasião em que os jovens do Leste Europeu puderam participar sem problemas do evento.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...