Supermercado de religiões

Ultimamente estamos assistindo em muitos países à inauguração de um verdadeiro supermercado de religiões, no qual cada pessoa pode pegar os elementos necessários para construir sua própria religião, da forma que quiser, podendo deixar de lado conceitos como Verdade, Igreja, Pátria, Cultura e qualquer outra coisa que possa exigir esforço como, por exemplo, a moral sexual. Como argumento, declara que todas as religiões são iguais, atribuindo suas divergências a equívocos já superados.


Assim, já que todos os dias vemos surgir uma nova seita ou movimento "iluminado", torna-se conveniente para o católico saber distingüir entre o que chamamos "igrejas históricas" e as seitas. Seita se origina da palavra latina secare, que quer dizer cortar, e se aplica a toda denominação, parte ou grupo de fiéis que se separou do corpo principal: a Igreja Católica. Assim, estritamente falando, todas as igrejas protestantes se enquadram nessa denominação. Porém, podemos distingüir entre o que poderíamos chamar "igrejas históricas" e seitas.

  • As igrejas históricas: são igrejas protestantes (evangélicas) que procedem diretamente do século XVI e que, por isso, podemos chamar "históricas". As principais são três: os luteranos, fundados por Martinho Lutero; os calvinistas, seguidores de João Calvino; e os anglicanos, fundados na Inglaterra por Henrique VIII, de lamentável memória. Estas igrejas têm como fundamento a Bíblia e, embora preguem o princípio da livre interpretação, contam com autênticos teólogos e estudiosos da Palavra de Deus em suas fileiras, estando interessados no movimento ecumênico que busca a união com a Igreja Católica.

  • As seitas: das chamadas igrejas históricas se separaram inumeráveis seitas, sobretudo no século passado, principalmente nos Estados Unidos, de onde vem tantas "novidades" e desde logo passaram a existir para todos os gostos. Podemos enumerar algumas de suas características:

    1. Alteração e deturpação da Bíblia segundo suas conveniências.
    2. Aceitação, em alguns casos, de outros livros como divinamente inspirados (ex: o livro do Mórmon ou a Dianética). 
    3. A pedra de toque para descobrir se uma certa seita pode ser chamada de cristã é conhecer o enfoque distorcido que dão a Jesus Cristo: em algumas, Ele perde sua divindade; em outras, tem sua história modificada; e, em algumas outras, sua missão simplesmente fracassou. 
    4. O seguimento fanático e servil dado ao seu líder (ex.: Moon, irmão Aarão, Ronald Hubbard etc.). 
    5. Se distinguem estas seitas por sua falta de seriedade bíblica e teológica, por sua agressividade proselitista que chega a uma autêntica lavagem cerebral, por seu ódio à Igreja Católica, por sua mentalidade exclusivista e excludente (por crerem possuir o monopólio absoluto da verdade e da salvação; ex.: Testemunhas de Jeová).
Além destas seitas mais ou menos ligadas ao Cristianismo, existem ainda outras "religiões" totalmente pagãs que se inspiram seja no mundo oriental, seja em dinâmicas psicológicas, que buscam "iluminação", paz universal, prosperidade econômica, êxito, felicidade terrena, autolibertação etc., como, por exemplo a New Age ou Nova Era.

Também não podemos deixar de mencionar os cultos satânicos e a inumerável quantidade de bruxarias, superstições e toda classe de erros que se difundem facilmente entre o nosso povo mais simples que, por uma terrível ignorância religiosa, se afasta da Verdadeira Religião Católica sem ao menos tê-la conhecido de fato.

Fonte: http://agnusdei.50webs.com/div272.htm

Leave a Reply

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...